Em conversa com o médico Antonio Luiz Macedo, foi dito que o chefe do Executivo estava bem e que a família deveria ficar tranquila


O senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), disse nesta quarta, 14, que tinha informações superficiais sobre a saúde do seu pai, Jair Bolsonaro, mas declarou que em conversa com o médico Antonio Luiz Macedo - que acompanha o presidente e o operou após a facada na campanha eleitoral de 2018 - lhe foi dito que o chefe do Executivo estava bem e que a família deveria ficar tranquila.

Segundo Flávio, filho mais velho do presidente, Macedo lhe garantiu que não tinha "nada de mais grave acontecendo", mas que Bolsonaro continuaria em observação. De acordo com o senador, após exames preliminares, no Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília (DF), ele conversou com seu pai, e também ouviu para que ficasse calmo e tranquilo.

O presidente foi levado nesta tarde para o hospital Vila Nova Star, no bairro Vila Nova Conceição, em São Paulo, onde está realizando uma bateria de exames para definir se haverá necessidade de cirurgia. De acordo com Flávio, seu pai ficará três dias em observação, e que caso seja necessário fazer uma cirurgia, Macedo lhe garantiu que seria algo pequeno, "sem nenhuma gravidade".

Além de afirmar que o problema poderia ser decorrente da facada de 2018, Flávio levantou a possibilidade de ser algo desencadeado por hábitos do pai, como não dormir bem e alimentação. O filho do presidente disse que o estresse também poderia ser um fator. "Conhece alguma profissão mais estressante que presidente da República? Ainda mais se tratando do presidente Bolsonaro, é difícil", concluiu Flávio em entrevista.

Via FV
Em tempos de "censura" com o jornalismo independente precisamos da ajuda do nosso leitor para nos manter online. Agora você pode apoiar o Amazon Presse através do PIX: 32.688.550/0001-31. Colabore!
Postagem Anterior Próxima Postagem