Rede Norte Amazônica chega para ampliar a participação do Santander na região apoiando o desenvolvimento sustentável

A Instituição financeira quer fomentar a produção sustentável de culturas como açaí, castanha, cacau, palmito, entre outros.

Na Rede Norte Amazônica, dezenas de vagas de emprego serão abertas para talentos locais


O Santander Brasil criou uma nova rede comercial dentro de sua estrutura de Varejo. A nova Rede Norte Amazônica é estratégica para fomentar negócios na região e tem a sustentabilidade como um grande vetor. Além de proporcionar uma expansão da atividade comercial na região, a Rede Norte Amazônica vai atuar a partir do entendimento das oportunidades, demandas e desafios locais para fazer chegar crédito a empreendedores e negócios que compreendam o valor do desenvolvimento sustentável e da preservação da floresta Amazônica. Em Porto Velho, o Banco também criou em maio uma estrutura própria para atender empresas com faturamento a partir de R$ 30 milhões que contribuem para o desenvolvimento da região com cultura sustentável.

“Teremos um Banco com a 'cara da Amazônia'. Estamos apostando na interiorização e vamos ampliar nossa presença com a abertura de 10 a 15 lojas neste ano. Vamos atuar com o drive orientado pela diversidade, inclusão e inovação. Para isso contrataremos talentos locais. Será um ativo para nós”, afirma Sérgio Rial, presidente do Santander Brasil.

Além de oferecer todos os produtos e serviços tradicionais, a Rede Norte Amazônica se inaugura com o lançamento de uma linha de crédito específica para cooperativas e associações de produtores de culturas típicas da Amazônia como cacau, açaí, castanha e frutas regionais. Além de crédito, a linha contará com ofertas não financeiras aos tomadores como orientação financeira e de técnicas produtivas. A ideia é apoiar o aumento de produtividade e aplicação das melhores práticas socioambientais ampliando o acesso destes negócios a mercados mais exigentes. Toda a aplicação da linha será 100% monitorada por indicadores sociais e ambientais.

A Rede Norte Amazônica também contará com núcleos do Prospera, unidade de negócio de microcrédito do Banco, cuja atuação é bem próxima aos clientes. Com a orientação do Agente Prospera, o microempreendedor ganha ferramentas e apoio para reforçar a sua capacidade de construir um caminho de prosperidade que, via de regra, se espalha pela comunidade em que está inserido.

“A rede atua no local e o papel de quem está no dia a dia com os clientes é integrar o negócio do banco às oportunidades produtivas regionais, respeitando os saberes e negócios que só podem existir nesta região rica e única em biodiversidade”, diz Antônio Areias, superintendente executivo da rede Região Norte Amazônica (que engloba os estados do Amazonas, Roraima, Rondônia e Acre).



Novo atendimento especializado a empresas de Rondônia e Acre

Porto Velho passou a sediar em maio uma estrutura exclusiva para atendimento às médias e grandes empresas de Rondônia e Acre que adotem cultura sustentável. A nova estrutura fará parte da Rede Norte Amazônica e terá, além de Porto Velho, gerentes em Ji-Paraná (RO) e Rio Branco (AC) para atender clientes-empresas que faturam entre R$ 30 e R$ 200 milhões ao ano. O potencial é de uma carteira de mais de 150 segmentos da economia ao todo nos dois Estados, que abrangem cerca de 700 empresas. O banco já conta com o mesmo modelo de estrutura em Manaus, onde funciona um núcleo especializado no atendimento das empresas dos outros Estados da Rede Norte Amazônica, Amazonas e Roraima.

No País, com Porto Velho, a instituição financeira conta com 94 centros de negócios e mais de 460 gerentes certificados e vocacionados para atender todas as demandas dos clientes para a melhor e mais completa experiência dos clientes na indústria financeira. Com objetivo definido de impulsionar ainda mais a expansão dos negócios de cada cliente, com o atendimento especializado, portfólio completo de soluções e forte cobertura internacional, o Santander acompanha a expansão do país em suas mais diversas características e regiões.

A Rede Norte Amazônica também contará com núcleos do Prospera, unidade de negócio de microcrédito do Banco, cuja atuação é bem próxima aos clientes. Com a orientação do Agente Prospera, o microempreendedor ganha ferramentas e apoio para reforçar a sua capacidade de construir um caminho de prosperidade que, via de regra, se espalha pela comunidade em que está inserido.



Talentos locais

O Santander terá uma centena de profissionais dedicados à frente do desenvolvimento sustentável na região da Amazônia. O time, que já está em processo de seleção, terá capacitação específica nos temas regionais e atuará no fomento a negócios que promovam uma economia de baixo carbono, o uso das fontes de energia renováveis, o agronegócio sustentável, o empreendedorismo, o investimento no saneamento básico e a inclusão financeira.

A região será beneficiada com uma linha de financiamento à energia fotovoltaica, com crédito mais barato e até 60 meses de prazo. No âmbito social, o banco avançará com o programa Amigo de Valor, buscando mais projetos da Região. Por meio dessa iniciativa do Santander, é possível inscrever projetos sociais que atendam crianças e adolescente em situação de vulnerabilidade para o financiamento via destinação de imposto de renda devido de stakeholders do Banco. O Amigo de Valor existe há 18 anos e já beneficiou 54.000 pessoas no país.



Plano Amazônia

Em julho de 2020, o Santander, em conjunto com Itaú e Bradesco anunciou um conjunto de dez medidas para o desenvolvimento da Amazônia. “O Plano Amazônia realizará entregas concretas ao longo dos próximos anos e a criação de nossa nova Rede vai exatamente ao encontro deste objetivo”, disse Karine Bueno, superintendente executiva de Sustentabilidade do Santander.






Em tempos de "censura" com o jornalismo independente precisamos da ajuda do nosso leitor para nos manter online. Agora você pode apoiar o Amazon Presse através do PIX: 32.688.550/0001-31. Colabore!
Postagem Anterior Próxima Postagem