Nesta quinta-feira (29), em pronunciamento na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), o deputado estadual Sinésio Campos (PT) solicitou a reconstrução da orla do município de Boca do Acre (distante 1.028 km de Manaus em linha reta), por meio de requerimento encaminhado à mesa diretora da Casa, após prejuízos causados pela vazante, na calha do rio Purus. O requerimento visa ainda à construção de um muro de arrimo, com o intuito de conter futuras erosões.

É o momento de o governo trabalhar de modo planejado, tendo em vista que os muros construídos parecem não passar por análises geológicas. Vão fazendo de qualquer maneira, e, posteriormente, quem sofre é o povo”, declarou Sinésio.

Atualmente, o município de Boca do Acre está em situação de emergência, decretado em 20 de fevereiro, deste ano. De acordo com o último levantamento realizado pela Defesa Civil do Amazonas, em 28 de abril, a soma de famílias afetadas, entre zona rural e urbana, apontou um total de 16 mil 887, com aumento crescente diário. O monitoramento é feito com apoio do Centro de Monitoramento e Alerta (Cemoa) e da Gerência Regional.

O deputado Sinésio Campos também fez um alerta a respeito dos impactos decorrentes da vazante no município. “Solicito à Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas que comece a trabalhar pesado no que diz respeito às doenças que são provocadas com a descida dos rios, como por exemplo, a leptospirose e a dengue”.

Uma visita técnica será realizada em 21 de maio ao município de Boca do Acre, sugeriu o deputado Sinésio Campos (PT). “Sugiro à Mesa Diretora que seja feita uma ação conjunta articulada das comissões permanentes desta Casa, juntamente com os órgãos competentes, para amparar a população de Boca do Acre, que está sofrendo”.

Em fevereiro, momento em que o rio Purus subia, o prefeito do município de Boca do Acre, José da Cruz (PP), decretou situação de calamidade pública. Na ocasião, foi autorizado por meio de portaria, publicada no Diário Oficial da União (Dou), em 18 de março, o repasse de R$ 2,96 milhões pela Defesa Civil Nacional.

No início de março, o governo do Amazonas criou a Operação Enchente 2021 e prometeu destinar o montante de R$ 67 milhões para ações de ajuda humanitária aos municípios afetados pela cheia. A Defesa Civil do Estado informou ainda que instalações das estações de tratamento de água já estão em funcionamento, em Boca do Acre, entre outros municípios.

Via Assessoria de Imprensa 
Em tempos de "censura" com o jornalismo independente precisamos da ajuda do nosso leitor para nos manter online. Agora você pode apoiar o Amazon Presse através do PIX: 32.688.550/0001-31. Colabore!
Postagem Anterior Próxima Postagem