Os santos dos últimos dias acreditam que todos os filhos espirituais de Deus – você, eu e bilhões de outros – são todos irmãos e irmãs espirituais.

Acreditamos que Jesus Cristo, que é perfeito, um membro da Trindade, e que também é um dos filhos do Pai Celestial.

Também acreditamos que Satanás é tecnicamente um filho espiritual rebelde de Deus, um “anjo caído” se você quiser.

Assim, você poderia dizer que entre nossos bilhões de irmãos espirituais, até mesmo Jesus e Satanás são irmãos espirituais.

No sistema de crença dos santos dos últimos dias, essa associação entre Cristo e Lúcifer não é muito mais do que uma nota de rodapé. E mesmo assim, muitos cristãos não entendem a nossa crença.

Então, vamos explicar o porquê acreditamos nisso e ver se podemos aprender algo ao longo do caminho.



Somos todos filhos espirituais de Deus
 

Os santos dos últimos dias acreditam que antes desta vida, todos nós vivíamos com Deus, o Pai, como Seus filhos espirituais.

Acreditamos que Cristo foi o primeiro a ser criado com um corpo espiritual por nossos Pais Celestiais, o filho espiritual primogênito de Deus e o único filho de Deus gerado na carne.

Cristo é nosso Salvador e Redentor. Ele é perfeito. Mas, estritamente no sentido de “família espiritual”, também consideramos Cristo como nosso irmão espiritual mais velho.

Os santos dos últimos dias acreditam que antes desta vida, nosso Pai Celestial apresentou a todos os Seus filhos espirituais, Seu “Plano de Salvação”.

O plano envolveria vir à terra, receber um corpo físico, escolher entre o bem e o mal e, finalmente e por fim voltar a viver com Deus novamente.

Receberíamos a liberdade de escolha, e como consequência, cometeríamos erros e pecaríamos. Portanto, nosso Pai Celestial explicou que precisaríamos de um Salvador. Veja Moisés 4.



As diferentes escolhas de Cristo e Lúcifer
 


E um respondeu como o Filho do Homem: Eis-me aqui, envia-me a mim.” “Pai, faça-se a tua vontade e seja tua a para sempre.”

O outro disse: “Eis-me aqui, envia-me; serei teu filho e redimirei a humanidade toda, de modo que nenhuma alma se perca; e sem dúvida eu o farei; portanto, dá-me a tua honra.”

O escolhido foi nosso irmão mais velho, Jesus Cristo. Aquele que não foi escolhido era um outro irmão espiritual nosso com o nome de Lúcifer.

Lúcifer não era um fã do plano de Deus, porque dar às pessoas sua liberdade de escolha implicava que alguns que escolheriam não seguir o plano de Deus.

A contraproposta de Lúcifer era remover essa liberdade de escolha, garantir a vida eterna para toda a humanidade e usurpar o trono de Deus no processo. Era um plano falho e nunca foi uma opção real.

Mas Lúcifer não recuou. Nossas escrituras o descrevem como “um anjo de Deus, que possuía autoridade na presença de Deus, que se rebelou contra o Filho Unigênito.”

Na verdade, ele convenceu muitos de nossos outros irmãos e irmãs espirituais a se rebelarem também.

“Portanto, por ter Satanás se rebelado contra mim e procurado destruir o arbítrio do homem, o qual eu, o Senhor Deus, lhe dera; e também por querer que eu lhe desse meu próprio poder, fiz com que ele fosse expulso pelo poder do meu Unigênito. E ele tornou-se Satanás, sim, o próprio diabo, o pai de todas as mentiras, para enganar e cegar os homens e levá-los cativos segundo a sua vontade, sim, todos os que não derem ouvidos à minha voz.” (Moisés 4:4)




Jesus Cristo é perfeito


Então, Satanás e Jesus são irmãos? No sentido de que Jesus, Lúcifer, você, eu e bilhões de outras pessoas são filhos espirituais de Deus, sim.

Contudo, para os santos dos últimos dias, essa associação realmente não tem impacto em nossa visão da divindade de Cristo.

Acreditamos que esta associação não torna Satanás melhor do que ele é, e não torna Cristo menos do que Ele é. Cristo é nosso Salvador e Redentor o Primogênito do Pai. Ele é perfeito.

Então, todos nós compartilhamos essa associação de “família espiritual” lá, e isso é relevante e importante, mas às vezes tendemos a enfatizar tanto essa associação que perdemos um pouco do rico significado de alguns outros relacionamentos realmente importantes.

Por exemplo, embora Cristo seja tecnicamente nosso irmão espiritual, o Livro de Mórmon explica como, ao aceitarmos a Cristo e Seu evangelho, Ele se torna nosso pai do convênio.

E agora, por causa do convênio que fizestes, sereis chamados progênie de Cristo, filhos e filhas dele, porque eis que neste dia ele vos gerou espiritualmente; pois dizeis que vosso coração se transformou pela fé em seu nome; portanto, nascestes dele e vos tornastes seus filhos e suas filhas.”

Em Mateus 12, Cristo fala sobre família de uma forma que ultrapassa uma mera associação entre pai e filho: “Porque, qualquer que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, este é meu irmão, e irmã e mãe”. Nesse sentido, Satanás é a coisa mais distante de um irmão para Cristo.

Espero que esse artigo tenha ajudado você a entender melhor sobre o assunto e se ficou alguma dúvida, deixe nos comentários.

Via maisfe.org
Em tempos de "censura" com o jornalismo independente precisamos da ajuda do nosso leitor para nos manter online. Agora você pode apoiar o Amazon Presse através do PIX: 32.688.550/0001-31. Colabore!
Postagem Anterior Próxima Postagem