A Lei de Licença Ambiental por Adesão e Compromisso (LAC) que facilitará, por exemplo, a vida de produtores rurais, das populações ribeirinhas e desburocratizará processos de licenciamento ambiental no Amazonas, está ganhando apoio de pessoas e instituições, direta ou indiretamente, ligadas ao setor primário. O projeto é de autoria do deputado estadual Ângelus Figueira (DC), que se colocou à disposição para discutir amplamente com todos os interessados na pauta.

A Lei já existe em outros Estados da Amazônia, já foi julgada constitucional e é para todos. É para o Amazonas. Tenho reunido com todos os segmentos, do pequeno ao grande produtor e especialistas em questões ambientais. É preciso ouvir todos os lados e chegarmos a um denominador comum para destravarmos as questões ambientais que prejudicam a população do interior, em especial os pequenos produtores e as nossas comunidades tradicionais. Mais do que nunca, precisamos preparar o Amazonas para o pós-Covid. E para resolver os problemas da capital, precisamos resolver os problemas do interior”, justifica Figueira.

Dentre as instituições que participam dos debates sobre a LAC e demais questões econômicas e burocráticas do setor primário, estão o Conselho Regional de Engenharia e Economia do Amazonas (CREA-AM), o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Embrapa, Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Ordem dos Advogados do Amazonas (OAB), geólogos, consultores ambientais, pequenos, médios e grandes agricultores e pecuaristas.

O presidente do Sistema Faea/Senar-AM/Fundepec-AM, Muni Lourenço, destaca o empenho do deputado Ângelus Figueira e capacidade de diálogo com todos os segmentos da sociedade para viabilizar medidas concretas de avanço econômico para o setor rural do Amazonas.

Nós sabemos da sua garra, determinação, profundo conhecimento sobre a nossa causa rural e amor pelo interior do Estado. E o nosso setor rural é um veículo que pode gerar muito desenvolvimento para a economia do Amazonas. Agradecemos sua disposição, deputado, de superar travas que hoje estão obstaculizando o desenvolvimento do nosso setor. Esse amplo debate, transparente, buscando equilíbrio e racionalidade só tem a ganhar mais apoio”, reconhece Lourenço.

Ângelus Figueira destaca que existem inúmeras ações que podem ser resolvidas e que tem como objetivo avançar na agenda do interior do Estado.

Por exemplo, nós não podemos estar no melhor mercado do Norte e exportarmos produção para outros estados. Exportamos o investimento para que o produto seja vendido no Amazonas, em Manaus. Hoje se compra em Manacapuru, peixe que vem de Roraima, de Rondônia, do Acre”, ilustrou o deputado estadual.

Via Assessoria de Imprensa 

Em tempos de "censura" com o jornalismo independente precisamos da ajuda do nosso leitor para nos manter online. Agora você pode apoiar o Amazon Presse através do PIX: 32.688.550/0001-31. Colabore!
Postagem Anterior Próxima Postagem