Na manhã desta terça-feira (20), parlamentares estaduais da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) chamaram a atenção para a necessidade de fomento na agricultura familiar do Estado, através de incentivo a criadores e a exploração de babaçu como mais uma opção econômica para o Amazonas.

O deputado Cabo Maciel (PL) tratou sobre a necessidade de incentivo aos agricultores familiares ao relatar visita à Comunidade Hollywood, localizada na BR 174, onde esteve com criadores de galinhas e produtores da região que abastecem a cidade de Manaus e região, comprometendo-se a buscar junto à Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror) meios de facilitar a vida destes trabalhadores rurais com a legalização de terras e meios de investimento na agricultura familiar como insumos e assistência técnica.

João Luiz (Republicanos) foi mais específico e sugeriu que o Governo do Estado criasse um programa de distribuição de ração como forma de incentivar a criação de galinhas, porcos e peixes no interior. “Neste último fim de semana visitamos e conversamos com alguns agricultores e pudemos perceber o quanto que eles precisam de um olhar diferenciado da Sepror. O que mais eles solicitam é ração para suas criações e é importante um estudo para viabilizar um auxílio no fornecimento de rações. Eles não querem ajuda financeira, querem apenas ração para alimentar suas crias e depois poder vender. Esses agricultores ainda são invisíveis, por isso estamos fazendo esse indicativo, junto com o deputado Cabo Maciel, para que o governo entregue de forma escalonada ração para esses agricultores, favorecendo na prática, a agricultura familiar”, afirmou.

Por sua vez o deputado Sinésio Campos (PT) lembrou mais uma vez o potencial econômico que representa a exploração do babaçu para o Amazonas, podendo ser mais uma fonte de recursos para o Estado e também de emprego e renda para o interior, inclusive com a produção de biodiesel e ração animal para os produtores. Corroborando o discurso de Campos, Tony Medeiros (PSD) defendeu a exploração do babaçu, citando estudo de viabilidade feito pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) através dos cinco milhões de pés de babaçu existentes no interior do Amazonas.

Via DirCom Aleam 
Em tempos de "censura" com o jornalismo independente precisamos da ajuda do nosso leitor para nos manter online. Agora você pode apoiar o Amazon Presse através do PIX: 32.688.550/0001-31. Colabore!
Postagem Anterior Próxima Postagem