Em defesa de prioridade na vacinação contra a Covid-19 para os profissionais da educação, a deputada professora Therezinha Ruiz (PSDB), participou de live da Jornada Nacional Vacina para Todos Já, lançada nesta quarta-feira (24) durante ato simbólico realizado em frente ao Congresso Nacional, em Brasília. A jornada é uma iniciativa das Comissões de Educação das Assembleias Legislativas de todo País, com o apoio de movimentos sociais da saúde da educação.

A campanha também promoveu nesta manhã um tuitaço em defesa da #VacinaParaTodosJá, com a participação de diversos movimentos sociais. A hashtag chegou a alcançar a 4ª posição dos assuntos mais comentados do dia no Twitter e até meio dia continuava entre os 10 termos mais citados com cerca de 10,6 mil menções.

Como presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), Therezinha Ruiz ressaltou em seu pronunciamento, a importância da mobilização em favor de ações governamentais imediatas que garantam a vacinação de todos os seguimentos da população, especialmente dos professores.

“Assinamos uma carta pedindo prioridade aos professores na vacinação e que será entregue ainda hoje aos Ministérios da Educação e da Saúde”, destacou a deputada, que participou, juntamente com o deputado Sinésio Campos (PT), de reunião virtual do Fórum de Parlamentares Presidentes e Vice-Presidentes de Comissões de Educação das Assembleias Legislativas, realizada na semana passada.

Therezinha Ruiz reforçou a necessidade de priorizar a imunização dos professores para que futuramente eles possam voltar às atividades com a garantia de segurança sanitária nas escolas, preservando a saúde de professores, alunos, pedagogos, merendeiras e demais profissionais da área.

“A educação não pode parar e tem que ser vista como prioridade para o desenvolvimento social, econômico e cultural do País”, defendeu Therezinha Ruiz. Nesse sentido, ela apresentou um Projeto de Lei tornando a educação, em todas as suas modalidades, como atividade essencial no Estado do Amazonas.



PEC Emergencial

A deputada reafirmou a sua insatisfação com a PEC Emergencial que acaba com o piso mínimo de gastos para a educação e a saúde. “Não sou contra o auxílio emergencial. Pelo contrário, sei das necessidades que a população está passando neste momento de pandemia, mas tem que se buscar outras fontes alternativas, porque os recursos não podem ser retirados da saúde e da educação”, afirmou Therezinha.

A PEC que tramita no Senado, está prevista para ser votada ainda esta semana, mas pode atrasar devido aos pontos polêmicos levantados por lideranças partidárias, sobre o fim do piso mínimo de investimentos na saúde e educação.





Via Assessoria de Imprensa
Postagem Anterior Próxima Postagem