O Amazonas pode estar próximo da terceira onda de contaminação de Covid-19. A afirmação é do professor Lucas Ferrante, doutorando do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), e foi dada durante Cessão de Tempo na Sessão híbrida desta terça-feira (9), na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam).

De acordo com Lucas Ferrante, a possibilidade é real e pode acontecer já a partir do mês de março. “Nós sabemos que quem teve contato com a primeira linhagem não tem resistência à P1 (nova variante) e os casos de reinfecção serão extremamente grandes. Prevemos que deve ocorrer uma terceira onda a partir de março e tudo vai depender do isolamento social no Amazonas. Recomendamos um lockdown extensivo de 20 dias a um mês, com a restrição de circulação de 90% da população, concomitante com a vacinação massiva de 70% da população de Manaus”, avisou.

Lucas Ferrante disse que faz parte de um grupo multidisciplinar formado por pesquisadores de várias áreas e instituições. “Faço parte de um grupo multidisciplinar formado por pesquisadores de várias áreas e instituições. Nossos avisos têm sido negligenciados. Avisamos que essa segunda onda surgiria por uma negligência e negacionismo dos tomadores de decisão do Amazonas”, acusou.

A Cessão de Tempo concedida pelo deputado Álvaro Campelo (Progressistas) foi acompanhada atentamente pelos deputados e deputadas presentes na Sessão e foi inteiramente transmitida pelas redes oficiais do parlamento e pela TV Aleam.

O deputado Serafim Correa (PSB) pediu que a população se vacine, sendo essa a única maneira de interromper a capacidade de transmissão da doença entre os indivíduos. Ele destacou que com a vacinação para os maiores de 70 anos na última segunda-feira (8) ultrapassou o recorde de mais de 15 mil vacinados em um único dia e pediu à população que se vacine.

“Tenho 73 anos, fui me vacinar. Eu, que já tive a doença, sei o quanto ela faz mal ao organismo. Sendo a vacina nossa única arma, temos que nos armar vacinando”, apelou.

Já o deputado Wilker Barreto (Podemos) voltou a criticar o Governo do Estado em relação à crise na Saúde. “Chega um ponto que a tragédia é tão contínua que vira paisagem, a população se acostuma com as mortes, com a negligência, com o descaso”, ressaltando que somente na última segunda-feira, morreram 113 pessoas vítimas da Covid-19, no Amazonas.

O deputado Sinésio Campos (PT), afirmou que um fato está passando despercebido da população do Amazonas. “Em tempos de crise, quando o comércio demite mais de 10 mil pessoas, o Governo Federal aumenta o preço do gás, da gasolina, do diesel. A botija de gás já ultrapassou o preço de 100 reais em Manaus”, denunciou.

Via DirCom ALEAM
Postagem Anterior Próxima Postagem