O Grupo que se recuperou da Covid-19 recebeu atendimento em unidades de saúde do Distrito Federal e Piauí



 Recuperados da Covid-19, dez pacientes que haviam sido transferidos por meio do Governo do Amazonas para atendimento em unidades hospitalares do Distrito Federal e Piauí, retornaram a Manaus. A chegada ocorreu no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes e foi marcada por palavras de comoção, saudades e superação. “Foi difícil, mas estou aqui para contar”, registrou uma das recepcionadas nesta sexta-feira (22/01).

Neila Meireles, de 45 anos, ficou internada no Serviço de Pronto Atendimento (SPA) Joventina Dias. Após ser analisada pela equipe médica e apresentar quadro moderado de Covid-19, a força-tarefa de saúde e assistência social do Governo do Estado articulou a ida dela para o Distrito Federal. Segundo ela, o único pensamento era conseguir alta médica para ver de novo as filhas.

Eu queria ficar boa logo, queria logo retornar. Graças a Deus o tratamento lá onde eu estava foi maravilhoso, não tem igual. Quem tiver a oportunidade de ir para se curar lá, ou em qualquer outro Estado, vá, porque você vai conseguir ser salvo. Com a ajuda de Deus, com a ajuda de todos, conseguimos”, disse Neila, emocionada após passar seis dias longe da família.

A filha de Neila, Beatriz Meireles, de 24 anos, aguardava a chegada da mãe no aeroporto com filho Artur. Para ela, todo o sacrifício e esforço valeram a pena, trazendo mais esperança para as famílias que estão com parentes fora de Manaus. “A gente vê que foi muito válido. Nossas orações, graças a Deus, foram atendidas. Ela realmente foi escolhida por Deus. Tem muita gente que está na espera e muita gente que estava com medo de ir por conta de ficar só. Graças a Deus a gente foi conversando com ela e acertando direitinho. Hoje o sentimento é de gratidão”, afirmou Beatriz.

Recomeço
– O recomeço para todos os recuperados acabou sendo a palavra de ordem. No aeroporto, alguns amazonenses saíam do portão de desembarque segurando a placa “Eu venci o Covid-19”, comemorando o retorno com saúde nos braços dos familiares. O primeiro voo fretado pousou na capital por volta das 21h com seis pessoas recuperadas, enquanto o segundo, do Piauí, pousou no Aeroporto Eduardo Gomes por volta de 0h30.
Daniela Pereira chegou no segundo voo e disse que o momento de maior alegria foi receber dos médicos do Hospital Universitário do Piauí a notícia que estava curada. “Foi muita felicidade. Agradeço o Estado do Piauí que me atendeu muito bem. Já já estou em casa para abraçar meus filhos”.

Rodinei Costa estava internado no Hospital João Lúcio e também recebeu atendimento da equipe do Hospital Universitário de Brasília. Ele agradeceu a recepção dos profissionais do Distrito Federal. “Nós recebemos toda a logística, tratamento psicológico, fisioterapeuta e médicos. É uma imensa alegria retornar agora para a família. Agradecer a Deus e pela oportunidade e também ao Governo do Estado pela oportunidade dada a nós. É um recomeço, uma nova vida daqui pra frente. Só vitória”.

A emoção também tomou conta de Márcio Santos, de 45 anos. Acompanhado do irmão, Marcelo Santos, ele agradeceu o Governo do Estado pela iniciativa. “Foi só Deus mesmo na nossa vida. Agradeço todo o apoio do governador, que mandou a gente pra Brasília. Tivemos essa oportunidade de estar aqui de volta, com nossos familiares”.

Peço que as famílias acreditem, que tenham esperança, que o Brasil está com o Amazonas. Todos os Estados, tenho certeza que a população é muito grata por receber os amazonenses e dar o melhor tratamento possível para que possam recuperar a saúde”, assegurou Marcelo aos familiares com parentes internados.

Apoio psicossocial – Na chegada a Manaus, um grupo formado pelo Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS) viabilizou o transporte do recuperados até às residências. Promovendo o apoio psicossocial, o órgão possui técnicos nos oito Estados onde há pacientes em tratamento com o objetivo de prestar o auxílio necessário aos familiares no Amazonas.

“Nossos técnicos estão dentro das unidades de referências nessas capitais. Hoje nós temos oito capitais do País que receberam esses pacientes, então nossos técnicos mantêm contato com a unidade hospitalar e com o paciente quando é possível, passando todas as informações de como está sendo o tratamento, de como esses pacientes estão evoluindo”, explicou a secretária executiva do FPS, Kathlen Santos.

Segundo Kathlen, o apoio traz maior segurança para as famílias. “Nós sabemos que o tratamento de Covid não permite que tenha um acompanhante lá no hospital. É natural que ele (paciente) se sinta mais fragilizado pelo tratamento e por estar em outra capital, então nossa equipe está lá para ser uma ponte de apoio emocional para que esse familiar se sinta mais acolhido, que sinta que tem alguém em contato com essa família aqui em Manaus”.

Óbitos – Além dos pacientes recuperados, os corpos de dois pacientes que vieram a óbito fora do Amazonas chegaram a Manaus nesta sexta-feira (22/01). Os corpos foram encaminhados para os procedimentos e serão entregues aos familiares.

Via AM HOJE




Postagem Anterior Próxima Postagem