Não bastasse o significativo aumento do número de infectados pela segunda onda da COVID-19 no estado, bem como, a falta de oxigênio nas unidades de saúde da capital amazonense, foi denunciado em Sessão extraordinária da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), na manhã desta terça-feira (19), pelo deputado Álvaro Campelo (Progressistas), que cilindros de oxigênio destinados aos municípios do interior estão sendo apreendidos. 


Tive informações de apreensões de cilindros do oxigênio que estão indo para interior do estado. Onde é que vamos parar com essa situação? Muitos prefeitos vieram à capital, com o objetivo de socorrer seus municípios e, absurdamente, esses cilindros foram apreendidos”, denunciou Álvaro Campelo. A informação também foi repercutida e foi confirmada pelo presidente da Associação Amazonense dos Municípios (AAM), Jair Souto, que participou da reunião de hoje.


 O parlamentar atentou, ainda, para o crescimento de casos no interior do estado, e propôs medidas para que se antecipe a resolução desses problemas. “Quero me somar às propostas anteriores que já foram apresentadas, é o momento do fim do recesso. Nós precisamos dar continuidade a esses debates para que possamos encontrar alternativas ao caos que se instalou no estado do Amazonas. 

O remanejamento das emendas parlamentares é extremamente importante, por exemplo, para a compra de usinas de oxigênio para o interior do estado, que começa a agonizar, com maiores danos, se nada for feito. Os municípios mais distantes passarão a ser os mais afetados por um problema grave de logística e nós temos que nos antecipar ”, afirmou Campelo.


Ônibus e terminais lotados


O deputado voltou a se pronunciar sobre o persistente problema de ônibus lotados na capital amazonense que tem contribuído para os altos índices de infecção póla COVID-19 em Manaus. “Outra proposta de suma relevância e que muitos tem virado as costas para o problema: os ônibus lotados na capital amazonense. Se temos hoje em torno de 300 mil passageiros por dia no transporte público da cidade e, segundo dados de uma pesquisa americana, cada pessoa tem o potencial de transmitir o vírus da Covid-19 para mais 6, nós estamos falando de um milhão e oitocentas mil pessoas que podem ser infectadas só por causa do transporte coletivo. Tem que aumentar a frota e diminuir a quantidade de pessoas nos ônibus, mas mais uma vez tenho pregado praticamente sozinho no deserto que nada é feito. O Legislativo precisa ser ouvido e precisa ser respeitado”, desabafou. 


Álvaro Campelo enviou na sexta-feira do dia 8 de janeiro, ao Prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), ofício com medidas de restrição mais duras ao número de passageiro no transporte público e terminais enquanto durar a pandemia. Caso a medida seja adotada, a proposta sugere que “amarelinhos” possam também ser utilizados para suprir a eventual redução da frota convencional e, com isso, evitar os atrasos das linhas. Além disso, o ofício recomenda a distribuição de álcool em gel na entrada e na saída dos ônibus.


Via Assessoria de Imprensa

Em tempos de "censura" com o jornalismo independente precisamos da ajuda do nosso leitor para nos manter online. Agora você pode apoiar o Amazon Presse através do PIX: 32.688.550/0001-31. Colabore!
Postagem Anterior Próxima Postagem