Por causa da pandemia do coronavírus (causador da Covid-19), que fechou escolas públicas por quase cinco meses, o governo do Amazonas deve economizar até o final do ano cerca de R$ 200 milhões provenientes do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Para garantir que os recursos sejam usados na valorização dos profissionais da Educação, o deputado estadual Fausto Jr. (PRTB) sugeriu nesta terça-feira (10) que o dinheiro não usado do Fundeb seja transformado em abono salarial.

A proposta do deputado é beneficiar todos servidores da Educação Pública, como professores, merendeiras, serventes, bibliotecários e gestores, entre outros, que receberiam o novo abono no final do ano.

Fausto Jr. explica que o Fundeb existe para manter funcionando todos os setores ligados à Educação Básica, como creches, pré-escolas, educação infantil, ensinos fundamental e médio e até a Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Por causa da pandemia do Covid-19, a maioria das escolas ficou fechada, o que gerou uma economia nos recursos do Fundeb. “As escolas públicas ficaram fechadas por quase cinco meses”, explica Fausto. “O uso dos recursos para pagamento do abono é mais do que justo”, defendeu o deputado.

A previsão é que a economia no fundo chegue a R$ 200 milhões até o final do ano. O valor exato deve ser divulgado até a primeira quinzena de dezembro, quando são encerradas as aplicações do Fundeb.

Ao defender o pagamento do abono, Fausto Jr. destacou a dedicação dos profissionais da educação em voltar às escolas, mesmo com a pandemia do coronavírus fazendo vítimas na capital e interior do Estado.

Segundo Fausto, até hoje o retorno às aulas gera polêmica, mesmo assim os professores e outros trabalhadores da educação cumpriram a ordem do governo do Estado em voltar ao trabalho.

São profissionais dedicados, que sabem a importância da Educação para a formação de nossas crianças e jovens”, defendeu Fausto. “Mesmo correndo riscos em meio à pandemia, as escolas reabriram as portas, graças ao trabalho destes profissionais. O reconhecimento pode ser feito mediante o pagamento do abono”, completou o deputado.

Via Assessoria de Imprensa 
Postagem Anterior Próxima Postagem