O novo sistema de pagamento do Banco Central, o PIX, começará a funcionar nesta segunda-feira, 16 de novembro, e vai permitir a realização de transferências e pagamentos em até dez segundos, além de estar disponível 24 horas por dia, 7 dias da semana. Esse tipo de inovação deve centralizar as transações financeiras no Brasil e há grande expectativa no mercado imobiliário quanto aos impactos, afinal, a gestão financeira é um dos aspectos mais importantes na administração de um imóvel. O PIX chega em um momento adequado, pois segue a prática da crescente digitalização do mercado imobiliário. Mas quais serão os impactos no sistema de pagamentos?
Boletos bancários com os dias contados

O novo meio de pagamento tem gerado expectativas no imobiliário e uma delas está no fato de que o PIX poderá significar o fim de instrumentos como DOC e TED. Sendo assim, um dos impactos virá por conta do possível fim dos boletos bancários, instrumento de cobrança bastante utilizado entre imobiliárias, locatários, proprietários e condomínios. Para os consumidores, o PIX irá significar inclusão financeira, com a possibilidade de receber e enviar pagamentos a partir de um smartphone. Para as empresas, os benefícios do pagamento instantâneo envolve a redução das taxas de transação, confirmação e disponibilidade imediata dos fundos, sem a necessidade de espera da compensação bancária.

Quando se faz um DOC, por exemplo, é necessário esperar o próximo dia para a compensação bancária. Já uma TED, embora possa ser feita em minutos, traz o inconveniente de só poder ser concretizada em dias e horários comerciais. Há ainda o incômodo do custo bastante elevado dessas operações. Conforme vem sendo prometido pelo Banco Central, o PIX funcionará 24 horas por dia e sete dias por semana, podendo a operação financeira ser efetuada em segundos e, de graça, na maioria dos casos. Tudo indica que o PIX poderá potencializar o mercado financeiro como nunca. Quanto ao mercado imobiliário, a expectativa é quanto à ação mais produtiva na gestão patrimonial. E aí, já cadastrou sua chave no PIX?



Agilidade e segurança nas operações

Com o Pix, será possível pagar boletos, contas de luz, impostos ou compras. Ele será mais um meio de pagamento e mais uma maneira de transferir recursos, com a vantagem de permitir operações em qualquer hora do dia e com mais rapidez. Para falar sobre as expectativas para o mercado imobiliário, conversamos com Fernando Galdi, professor da Fucape, pós-Doutor em Contabilidade e Doutor em Controladoria e Contabilidade. Confira a entrevista:

O PIX chega em um momento oportuno, pois atende a crescente digitalização do mercado imobiliário. Quais serão os impactos?

O PIX poderá tornar as transações imobiliárias mais ágeis e seguras. Muitas vezes, a assinatura do contrato somente era feita após o crédito e entrada dos recursos na conta do vendedor. Em certas situações isso poderia demorar e até mesmo gerar constrangimentos. Com o PiX, isso será resolvido, pois a transação é efetivada em apenas 10 segundos.

O PIX será uma opção na substituição dos boletos bancários, tão usado nos processos de cobrança no mercado imobiliário. Como o PIX poderá tornar mais produtiva a gestão patrimonial?

O PIX é mais barato e seguro que boletos, além de conferir mais rapidez nas transações. Aos poucos, os boletos devem ser trocados pelo pagamento via PIX e isso irá tornar a gestão patrimonial mais produtiva devido à digitalização.

Um dos pontos mais importantes na administração de um imóvel é exatamente a gestão financeira. Como o novo sistema de pagamentos irá potencializar o mercado imobiliário?

Confere maior segurança, agilidade e flexibilidade, além de facilitar o controle, portanto, pode trazer ganhos à gestão. É um sistema de pagamentos centralizado. Ele oferece uma infraestrutura unificada para a resolução de operações instantâneas no país.





Novas práticas para melhor atendimento ao cliente


Em conversa com o IMVC, corretores e empresários enumeraram algumas práticas que foram adotadas durante o isolamento social para oferecer mais comodidade aos clientes e otimizar recursos e o trabalho das construtoras. Apesar da redução de alguns custos, algumas empresas tiveram que fazer investimentos para garantir maior conforto ao consumidor. A certeza é de que haverá o aperfeiçoamento e expansão desses recursos.

Práticas tecnológicas que irão permanecer

Atendimento virtual e automatizado através do WhatsApp ou chat das empresas para tirar dúvidas dos clientes; uso do QR Code para divulgar os empreendimentos de forma mais rápida e fácil; consolidação da geolocalização para indicar os empreendimentos próximos; sistemas de geração de contrato totalmente on-line, com assinatura através de certificado digital; app próprio dos empreendimentos com maior disponibilidade de fotos e vídeos; uso de softwares de gestão para planejamento e acompanhamento das obras, incluindo orçamento e compras realizadas. O imobiliári o realmente mudou e...




As pessoas também querem mudar


O próprio isolamento social favoreceu a compra de novos imóveis. As pessoas ficaram em casa e viram que precisavam trocar de imóvel, ir para um maior, numa localidade diferente. O mercado imobiliário entendeu e se transformou.

Via FV
Postagem Anterior Próxima Postagem