Na manhã de quinta-feira (22) o deputado Dermilson Chagas (Podemos) disse que se os 227 aprovados do concurso do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) não tivessem entrado na justiça para garantir o chamamento, o Governo do Amazonas não teria convocado.

Desde o início de 2019, os aprovados do concurso, cobram do governador Wilson Lima (PSC) as suas devidas convocações, que ao invés de chamá-los optava por contratar terceirizados da Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental (AADESAM,), considerados para o deputado Dermilson como apadrinhados políticos.

Por conta disso, os aprovados tiveram que entrar com uma Ação Civil na 5ª Vara de Fazenda Pública do Amazonas para informa a existência de terceirização ilegal na contratação de pessoal, por meio do contrato entre o Idam e AADESAM, em detrimento dos candidatos aprovados no concurso público.

A Ação foi aceita e por meio de uma liminar, a justiça obrigou o Estado a revogar o contrato e empossar os aprovados. O evento de posse ocorreu na última quarta-feira (21).

Para Dermilson a convocação significa vitória para os aprovados que tiveram que recorrer na justiça para garantir o que é de direito. “Vieram aqui na Assembleia, falaram conosco e nós cobramos inúmeras vezes nas redes sociais e nesta tribuna. E ontem foi uma concretização de todo um trabalho. É uma pena que tiveram todo esse trabalho, mas é uma grande vitória. Infelizmente o governador não quer o bem do setor primário, mas pelo menos a justiça do Amazonas quer”, disse.

Dermilson ainda espera que o Governo do Amazonas forneça toda a estrutura necessária para os nossos servidores concursados do Idam. “Que eles possam ter todas as condições de trabalho para que nosso agricultor e pescador lá no interior do Amazonas sejam atendidos por esses profissionais capacitados”.




Via Assessoria de Imprensa
Foto: Márcio Gleyson
Postagem Anterior Próxima Postagem