O ex-secretário de Saúde Rodrigo Tobias prestou depoimento à Polícia Federal e revelou que o governador Wilson Lima articulou a compra de respiradores com suspeita de superfaturamento


No depoimento dado no último dia 8 ao delegado Alexandre Montenegro de Albuquerque, da Delegacia de Repressão a Corrupção e Crimes Financeiros, o ex-secretário Rodrigo Tobias disse que, em 3 de abril (à noite), ele se encontrou com o governador Wilson Lima no Aeroporto de Manaus para receber uma carga de respiradores vindo do Rio de Janeiro e, na ocasião, o “governador insistiu que o declarante (Rodrigo Tobias) se encontrasse com pessoa de nome Alencar”; então no dia no dia seguinte, 4, um sábado, “o declarante se encontrou pela primeira vez com Alencar em seu gabinete na presença do secretário executivo (da então Susam) João Paulo e da Alcineide (responsável pelo setor de compras da secretaria) e em nenhum momento ficou sozinho com ele; que apenas nesse ato que tomou conhecimento do nome completo de Alencar: Gutemberg Leão Alencar”, declarou.

De acordo com o depoimento, durante a reunião, Alencar se apresentou como empresário e que teria sido indicado pelo próprio governador para orientar o governo sobre onde haveria disponibilidade de respiradores para aquisição. “Durante a reunião o declarante ligou para o governador Wilson Lima para informá-los que a reunião com Alencar estava ocorrendo naquele momento”, consta no depoimento.



Em outro trecho do depoimento, o ex-secretário revela a atuação da ex subsecretária de saída da Capital que solicitou a aquisição respiradores pulmonares da empresa Sonoar, cujo representante no Amazonas era a empresária Luciana Andrade. “Que o declarante foi abordado algumas vezes por Daiana que falava conhecer uma pessoa de nome Luciana que era fisioterapeuta e representante da empresa Sonoar no Amazonas para que o respiradores pulmonares fossem adquiridos com ela”.

Rodrigo Tobias narra, então, que entre os dias 2 ou 3 de abril, a ex-secretária de Comunicação, Daniela Assayag “compareceu ao gabinete do declarante a pedido do governador para saber como estava o processo de aquisição de respiradores insistindo que fosse realizada a aquisição dos equipamentos da Sonoar”.

A compra dos respiradores da Sonoar é alvo de inquérito sob suspeita de superfaturamento e levou a deflagração de suas fases da Operação Sangria em Manaus.




Via D24AM
Postagem Anterior Próxima Postagem