Ministério da Saúde divulga dados sobre saúde mental dos brasileiros na pandemia. Estudo monitora evolução dos transtornos emocionais
 

O Ministério da Saúde divulgou os resultados preliminares da pesquisa sobre saúde mental da população durante a pandemia do novo coronavírus. A primeira fase revelou que a ansiedade é o transtorno mais presente no período. Os dados foram levantados a partir do questionário online disponível entre 23 de abril a 15 de maio. O estudo monitora a evolução dos transtornos citados pelos participantes que disponibilizaram contato no formulário.

Após a primeira etapa, foi verificada a elevada proporção de ansiedade (86,5%); uma moderada presença de transtorno de estresse pós-traumático (45,5%); e uma baixa proporção de depressão (16%) em sua forma mais grave. Os dados são refletidos nos questionários de escalas para rastreios das condições psicológicas dos pesquisados, que também foram submetidos às questões sociodemográficas. A amostra preliminar da primeira fase é resultado da análise de 17.491 indivíduos com idade média de 38,3 anos, variando entre 18 e 92 anos.


O questionário possui ainda outras duas fases, usando os mesmos instrumentos de rastreio. Isso permitirá que comparações sejam realizadas. Na segunda fase, realizada entre os dias 10 e 31 de agosto, o uso de álcool e outras drogas durante a pandemia também foi investigado, assim como a procura dos participantes por serviços de saúde mental. Os resultados dessa etapa ainda estão sendo levantados.

Os dados do estudo completo serão divulgados após o final da terceira etapa, em meados de dezembro de 2020.

Durante a covid-19, o Ministério da Saúde reforçou o atendimento em saúde mental. Foram investidos R$ 1,1 milhão para ampliação dos serviços e incentivada a abertura de 24 novos Centros de Atenção Psicossocial (Caps), 11 Serviços de Residência Terapêutica (SRT), uma Unidade de Acolhimento Infanto-juvenil e 40 novos leitos de saúde mental em hospital geral. Além disso, 21 Equipes Multiprofissionais de Atenção Especializada de Saúde Mental para atendimento ambulatorial foram habilitadas.

Além disso, foi criado o projeto TelePSI, que presta suporte psicológico e psiquiátrico aos profissionais de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS) e outros profissionais que atuam em serviços considerados essenciais. É um serviços de teleconsulta psicológica e psiquiátrica por meio de uma central de atendimento que funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h, pelo 0800 644 6543.

Via FV
Postagem Anterior Próxima Postagem