"Todas as circunstâncias que envolveram o fato estão sendo apuradas por intermédio de um Inquérito Policial Militar (IPM), que tem prazo de solução de 40 dias, sendo acompanhado pelo Ministério Público Militar (MPM). O IPM foi instaurado logo após o ocorrido e está em andamento. Celular será periciado", diz Nota 






NOTA À IMPRENSA

Acerca dos questionamentos a respeito dos fatos que envolveram a morte do Soldado do Efetivo Variável, Jhonatha Correa Pantoja, este Comando Militar de Área, informa que: 

● Todas as circunstâncias que envolveram o fato estão sendo apuradas por intermédio de um Inquérito Policial Militar (IPM), que tem prazo de solução de 40 dias, sendo acompanhado pelo Ministério Público Militar (MPM). O IPM foi instaurado logo após o ocorrido e está em andamento. 

● O celular do soldado será periciado por órgão policial competente externo ao Exército. Por este motivo, está lacrado no Pelotão de Investigação Criminal do 7º BPE. Todos os demais pertences foram inventariados e entregues no mesmo dia à família. 

● Cabe à Polícia Civil do Amazonas informar ou divulgar o laudo do Instituto Médico Legal (IML). 

● O 7º BPE tomou todas as providências no sentido de avisar e acompanhar à família do soldado de forma responsável, utilizando, para isso, a presença de uma psicóloga e de uma assistente social. 

Agradecemos a confiança depositada nas Forças Armadas. 

Atenciosamente, 

COMANDO MILITAR DA AMAZÔNIA 

EXÉRCITO BRASILEIRO 


“A força do povo brasileiro defendendo a Amazônia”

Postagem Anterior Próxima Postagem