Manifestantes cobraram os deputados para que deixem de defender o governador e apoiem o impeachment




A manifestação começou por volta das 9h30 deste domingo, na Avenida das Torres. A carreata, que segundo a organização contou com 150 carros, saiu em direção à sede da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE), na zona centro-sul, e depois seguiu até a sede do governo, na Compensa. E, por volta das 11h30, foi finalizada na Ponta Negra.

Segundo o coronel reformado da Polícia Militar Ubirajara Rosses, que estava na manifestação, familiares de policiais militares que morreram por conta da pandemia do novo coronavírus o procuraram para pedir apoio para cobrar os governantes. “Todos os familiares que me procuraram relataram que o seu familiar, no caso um policial militar, adoeceu, pois estava na linha de frente do combate ao coronavírus e sem proteção adequada. Quando adoeceram, os familiares tentaram pedir ajuda das autoridades, mas não foram ouvidos. E mesmo após a morte, essas famílias ainda não receberam apoio algum”, disse Rosses.

O coronel comentou que o objetivo principal da carreata é pedir que os deputados estaduais deixem de defender o governador e façam o papel deles, que é lutar pelo povo. “O STJ [Superior Tribunal de Justiça] disse que o governador é o chefe da organização criminosa que superfatura os contratos da Saúde do Estado. Então, pedimos seriedade aos deputados para que possam votar a favor do povo pedindo o impeachment do governador Wilson Lima, por conta do caos na saúde e da corrupção instalada nesse governo”, afirmou Rosses.

Todas as pessoas abordadas aderiram à campanha, a adesão foi de 100%. Então, a população quer a saída do governador. Vamos esperar esta semana para sabermos se o processo do impeachment vai pra frente. Caso não avance, pretendemos fazer outra manifestação, desta vez lá na sede da Assembleia para pressionar os deputados a votarem em favor do povo”, completou o coronel.

Postagem Anterior Próxima Postagem