A CPI da Saúde criada na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) contestou os números divulgados pela propaganda do Governo do Estado, que diz que 1.800 pacientes com coronavírus foram atendidos pelo hospital de campanha Nilton Lins.

De acordo com fichas de atendimento do hospital, obtidas pela Comissão na semana passada, cerca de 400 pacientes passaram pela unidade nos últimos três meses. “O número é bem diferente da propaganda divulgada pelo Governo. A população tem o direito de saber a verdade sobre o que aconteceu no hospital Nilton Lins”, afirmou o relator da CPI da Saúde, deputado estadual Fausto Jr (PRTB).

O parlamentar ressalta que a comissão visitou, semana passada, o hospital de campanha e coletou fichas de atendimento relativas aos 90 dias de funcionamento da unidade. “Temos os nomes de todos os pacientes que foram atendidos, bem como as fichas médicas e diagnósticos assinados pelos médicos”, acrescentou Fausto.

Segundo foi apurado pela CPI, os números não coincidem com os divulgados pela propaganda do governo e com os relatórios emitidos pela Secretaria de Saúde do Amazonas (Susam). “Fizeram uma propaganda enganosa ou usaram de má fé para enganar a sociedade”, destacou o deputado Serafim Corrêa (PSB), que também é membro da CPI.

Diante da inconsistência nas informações, a comissão deu prazo de 48 horas para o secretário da Susam, Marcelus Campelo, apresentar a verdade sobre os atendimentos no hospital de campanha. “Se a suspeita for confirmada, o governo aumentou em 350% o número de pacientes atendidos pelo hospital. Por isso queremos que o secretário dê explicações”, ressaltou Fausto Jr.

Via Assessoria de Imprensa 
Postagem Anterior Próxima Postagem