A declaração do governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), afirmando que “o Estado trabalhou no limite, mas ninguém morreu porque não tinha respirador”, revoltou o deputado estadual Wilker Barreto (Podemos) nesta quarta-feira (10). Para o parlamentar, a frase do chefe de Estado, dita em debate ao vivo do canal da TV paga CNN Brasil, é uma falta de respeito com o povo do Amazonas e com as famílias dos 2.315 mortos pela pandemia do novo coronavírus no Estado.

Eu fiquei indignado com a frase do governador. Todo mundo sabe o sofrimento que foi o auge da Covid-19 e a ausência de ações públicas para conter a pandemia no Estado. Será que ele esquece das pessoas que estão nos SPAs morrendo pois não foram transferidos, das pessoas que estavam com saco plástico na cabeça porque não tinha respiradores, dos leitos no Delphina que não foram expandidos? Como é que o governador tem coragem de falar isso? Será que a cara dele não treme ao falar isso para o povo do Amazonas?”, protestou o deputado.

Barreto comentou, ainda, sobre a operação Apneia, deflagrada na manhã desta quarta-feira (10) pelo Ministério Público do Amazonas (MP-AM) e coordenada pelo Grupo de Atuação Especial ao Crime Organizado (GAECO), com objetivo de cumprir 14 mandatos de busca e apreensão como parte das investigações da compra de ventiladores respiratórios superfaturados, por meio de dispensa de licitação, pela Secretaria de Estado de Saúde (Susam).

Gostaria de parabenizar o MP e a GAECO pela operação dos respiradores. Acreditem, é a primeira de muitas. Ainda tem muita coisa a ser investigada nesse governo, que irá entrar de forma triste para a história como o governo mais corrupto do Amazonas. É uma triste realidade”, alertou Wilker, que é membro da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde do Amazonas, a CPI da Saúde, que investiga irregularidades na área da saúde entre os governos de 2011 a 2020.

Via Assessoria de Imprensa 
Postagem Anterior Próxima Postagem