Operação da PF é aguardada

Por determinação do ministro do STJ, Francisco Falcão, todo material apreendido pelo MPE e Polícia Civil foi entregue na sexta-feira (12/6) e os comentários em Brasília é que uma operação da Polícia Federal será deflagrada para complementar a investigação da compra por 2,9 milhões dos Ventiladores Fanta.


O tempo fechou para o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), e para o Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE) com a decisão do ministro Francisco Falcão, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), de chamar para si a competência para investigar a compra superfaturada de Ventiladores mecânicos Fanta em uma loja de vinhos. 

O ministro Francisco Falcão, em uma só canetada, indicou que já autorizou a Procuradoria Geral da República (PGR) a investigar o governador Wilson Lima e que, por isso, o MPE errou ao deflagrar, junto com a Polícia Civil, no dia 10 a Operação Apneia também para investigar a comprar dos Ventiladores Fanta, mas sem envolver Wilson Lima.

O MPE já havia sido avisado que a investigação deveria ser na esfera federal e mesmo assim decidiu fazer a operação que foi muito criticada no Amazonas. O ministro Francisco Falcão foi o mesmo que autorizou, a pedido da PGR, mandados de busca e apreensão na casa do governador do Pará, Hélder Barbalho, e ainda bloqueou bens do governador paraense.



Operação da PF é aguardada

Por determinação do ministro Francisco Falcão todo material apreendido pelo MPE e Polícia Civil foi entregue na sexta-feira (12/6) e os comentários em Brasília é que uma operação da Polícia Federal será deflagrada para complementar a investigação da compra por 2,9 milhões dos Ventiladores Fanta.



CPI da Saúde surpreende

A CPI da Pandemia esta surpreendendo. EM poucos dias, conseguiu não só desvendar o superfaturamento, mas provar que o processo de tomada de preços foi  fraudado. Apenas duas empresas envolvidas na negociata – a Sonoar e a FJAP que é a mesma loja de vinhos – tiveram lucro de R$ 1,9 milhão numa compra de R$ 2,9 milhões. E novas negociatas estão sendo investigadas, uma vez que em apenas 180 dias da pandemia, o Governo Wilson Lima dispensou de licitação contratações no valor de R$ 270 milhões. E o mais grave é que grande parte foi por processo indenizatório, que nem contrato existe, o que abre ainda mais espaço para maracutaias.



Quebra de sigilo

Outro desafio da CPI é saber quem verdadeiramente se beneficiou da compra superfaturada e do lucro de R$ 1,9 milhão. A quebra de sigilo fiscal será o caminho para descobrir o caminho do dinheiro pago pelo Estado.


Via Portal Único
Postagem Anterior Próxima Postagem