O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, determinou que redes sociais forneçam relatórios sobre pagamentos efetuados a portais conservadores.

Essa diligência faz parte da operação autorizada por Moraes e deflagrada nesta última terça-feira (16) pela Polícia Federal, que inclui quebra de sigilo bancário de onze parlamentares e busca e apreensão a apoiadores do presidente. As medidas foram solicitadas pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

O ministro do STF determinou ainda ao Facebook o fornecimento de informações da monetização das páginas Terça Livre, Folha Política, Foco do Brasil, Alberto Silva, Roberto Boni, Vlog do Lisboa, Roberto Boni, Nação Patriota, Ravox Brasil, Oswaldo Eustáquio, Sara Winter, Marcelo Razão e Camila Abdo Calvo.

Ao Instagram, Moraes determinou fornecimento de detalhes sobre a monetização das páginas Foco do Brasil, Folha do Brasil, Alberto Silva BR, Terça Livre, Vlog do Lisboa, Nação Patriota Ofic, Ravox Brasil, Eustáquio Oswaldo, Sara Winter, Dr Frazão Marcelo e Camila Abdo.

Ainda sobre os relatórios de monetização, foi determinado ao YouTube o fornecimento de informações financeiras sobre os canais Folha Política, Foco do Brasil, O Giro de Notícias, Terça Livre, Vlog do Lisboa, Universo, Nação Patriota, Ravox Brasil, Oswaldo Eustáquio, Sara Winter, TV Direita News, Direto aos Fatos e Emerson Teixeira.




Via Conexão Política
Postagem Anterior Próxima Postagem