General Polsin assume o comando da Suframa

Menezes deixa Suframa e cederá lugar para o general Algacir Polsin (foto), hoje no comando de Operações do CMA

O coronel Alfredo Menezes deixa o posto de superintendente da Suframa. O cargo será ocupado pelo atual chefe do Centro de Coordenação de Operações do Comando Militar da Amazônia (CCop/CMA), general de brigada Algacir Antônio Polsin. “A troca é técnica. Não tem nada de político”, disse a fonte do portal, em Brasília.


A troca será efetivada, no Diário Oficial da União (DOU), nos próximos dias. Não há data certa, nem foi confirmada cerimônia de posse. Haverá uma transição entre os dois militares. 


Secretaria Nacional do Meio Ambiente 

Menezes deve ocupar a Secretaria Nacional de Meio Ambiente, ligada ao Ministério do Meio Ambiente, cuja sede será em Manaus. “A pasta ainda vai ser criada. Enquanto isso, o coronel vai trabalhar na transição”, disse a fonte.

A troca será efetivada, no Diário Oficial da União (DOU), nos próximos dias. Não há data certa, nem foi confirmada cerimônia de posse. Haverá uma transição entre os dois militares.


Posse complicada e asfaltamento do distrito em xeque

A posse de Alfredo Menezes foi complicada. Desde o princípio, a bancada federal, que detinha o “direito” de nomear o superintendente, fez oposição. Foram meses, antes de o presidente Jair Bolsonaro, padrinho de casamento do coronel, efetivá-lo no cargo.

Bolsonaro prestigiou o superintendente, presidindo a primeira reunião do Conselho de Administração da Suframa (CAS), sob o comando de Menezes. Até melhorou a aprovação do Processo Produtivo Básico (PPB), um gargalo histórico no órgão.

A demissão, “por questões técnicas”, é uma surpresa para quem via fotos seguidas de Alfredo Menezes ao lado do presidente. O coronel chegou a assumir uma espécie de “chefia informal” do governo federal no Amazonas. Isso enciumou cada vez mais os políticos da bancada federal.

A galinha dos ovos de ouro da administração dele na Suframa, o asfaltamento do Distrito Industrial, trombou de frente com o período de chuvas e a pandemia de coronavírus. Isso impediu a conclusão dos serviços, ficando várias ruas pendentes de asfaltamento.

A dúvida é se Polsin na Suframa, como general operacional, dará continuidade à parceria com a Prefeitura de Manaus. O prefeito Arthur Virgílio se tornou, no auge da pandemia, um dos inimigos mais efetivos de Bolsonaro. Chega a afirmar que ele é o maior aliado do coronavírus.



Aguarda-se os próximos capítulos


Menezes colecionou fotografias mostrando intimidade com o presidente Bolsonaro




Via Portal do Marcos Santos
Postagem Anterior Próxima Postagem