Amazonas - A UBS Fluvial Castanhola está em um estaleiro no Puraquequara em Manaus ao lado UBSs Fluviais de vários municípios, umas em fase de acabamento, outras prontas para serem entregues e outras já foram entregues e estão em plena atividade. Enquanto isso a UBSF Castanhola do Município do Careiro chama atenção pelo descaso com o dinheiro dos contribuintes, aquela que seria a primeira UBS Fluvial do município do Careiro está sendo corroída pela ferrugem e pode ser comparada a um paciente na UTI em fase terminal a cada dia está mais perto da morte. 



Relembrando o caso da UBS-Fluvial Castanhola: Em 2014 foi liberado o valor de R$ 1.517.468,00 (Hum milhão quinhentos e dezessete mil quatrocentos e sessenta e oito reais) referente a 100% do valor de um convênio 51683/2011 firmado entre a Prefeitura Municipal do Careiro e o Ministério da Saúde para aquisição de equipamentos para a UBS Fluvial conforme documento a baixo:




Seis anos se passaram e até hoje o município do Careiro não tem a sua Unidade Básica de Saúde Fluvial, devido ao estado de abandono não há qualquer previsão da UBSF Castanhola navegar pelos rios do município para levar atendimento de saúde a população ribeirinha. 



Promessa não cumprida 

Veja a mensagem postada pelo prefeito do Careiro nas redes sociais da Prefeitura em julho de 2017, no próximo mês essa mensagem faz aniversário de três anos:


Estado de abandono 

Pelo estado de abandono da UBS Fluvial, pela ação do tempo e da ferrugem que compromete a integridade estrutural e a confiança da embarcação não é possível prever se um dia essa embarcação finalmente será concluída o que é possível prever é que para terminar e equipar aquela que seria a primeira UBS Fluvial do Careiro Castanho ainda será preciso gastar muito dinheiro dos contribuintes.


Se estivesse pronta

A equipe de profissionais para trabalhar na UBS Fluvial seria formada por: 01 Médico, 01 Enfermeiro, 01 Técnico ou Auxiliar de enfermagem, 02 Cirurgião dentista 01 Técnico ou Auxiliar de consultório, 02 Técnico ou Auxiliar de consultório odontológico, 01 Comandante, 01 Motorista fluvial, 01 Auxiliar de serviços gerais, 01 Assistente Administrativo, 01 Técnico de Laboratório, 01 Cozinheira (a). 



Cadê o dinheiro? 

Se o dinheiro foi repassado desde 2014 e seis anos depois a UBS Fluvial não foi concluída onde foi parar o dinheiro liberado pelo Ministério da Saúde? O convênio já terminou o ministério da saúde cumpriu a sua parte, mandou os recursos, agora o processo está na fase de prestação de contas, como prestar contas de um dinheiro que não se sabe para onde foi? 

Com a palavra os órgãos responsáveis pela fiscalização dos recursos públicos, Ministério Público Federal (MPF), Controladoria Geral da União (CGU), Tribunal de Consta da União (TCU), Polícia Federal (PF) e outros. 

Eu sou Edson Brito e você tem o direito de não concordar comigo, mas eu tenho o compromisso de não me calar.

Postagem Anterior Próxima Postagem