Serviços de apoio são realizados pela internet, individualmente ou em grupos, por meio de vídeos e mensagens. Sintomas psíquicos podem ser comuns durante cenário de pandemia.

 



Ansiedade, medo e insônia estão entre os principais sintomas psicológicos desencadeados na população diante da pandemia do novo coronavírus. Para amenizar os problemas psíquicos das pessoas que estão sofrendo com esses, e outros sintomas, durante o período de isolamento social, equipes de psicólogos de Manaus têm fornecido atendimento gratuito aos necessitados (veja relação abaixo).


A psicóloga Tharzia Brelaz, que trabalha há 13 anos com a linha comportamental cognitiva, teve a iniciativa de criar grupos online para tratar a saúde mental como medida de prevenção aos problemas referentes à pandemia. O atendimento, gratuito, é realizado pela internet, com pacientes com idade a partir de 14 anos.


Tharzia explica que uma mudança de hábitos, de rotina, e a busca por qualidade de vida são fundamentais para evitar o adoecimento. O trabalho da psicóloga é feito em parceria com um educador físico e um nutricionista, que desenvolvem um cronograma de atividades para cada paciente.


Bom sono, atividades físicas e alimentação adequada fazem parte do cronograma que é montado com cada um. Diariamente encaminhamos mensagens e informações sobre a prevenção e além de atendimentos individuais via vídeo chamada”, contou.


O atendimento para cada grupo, segundo Tharzia, tem uma duração de 30 dias. Aqueles que apresentam nível de estresse elevado, por causa da situação atual de isolamento social, são encaminhados para atendimento específico. Interessados podem se inscrever nos grupos por meio do link: https://forms.gle/Py9gz8KcyKwtNSDE6. Após o preenchimento, é necessário enviar a mensagem "CONFIRMO PARTICIPAÇÃO" para o WhatsApp (92) 98270-8325.



Fundação Rede Amazônica e Impact Hub


Com apoio da Fundação Rede Amazônica (FRAM), o “Acolhimento HUB” - um grupo formado voluntariamente por membros psicólogos e profissionais da área da saúde mental - oferece apoio psicológico a quem desejar, inclusive para empreendedores que estão passando por desafios em seus negócios em meio à crise produzida pelo COVID-19.


O atendimento é realizado por 17 profissionais que se dispuseram de forma voluntária a conversar. Os interessados podem entrar em contato pelo telefone (92) 98805-2040, ou pelas redes sociais da Impact Hub Manaus.




UniNorte

Desde o dia 1º de abril, a UniNorte oferece atendimento psicológico gratuito para a população. As sessões individuais são realizadas online e para solicitar o serviço, é necessário se cadastrar por meio do formulário online: http://tiny.cc/1bl8lz. Os atendimentos são agendados de segunda a sábado, pelo aplicativo Hangout, entre 9h e 12h, 14h e 17h, e das 18h às 21h.




Universidade do Estado do Amazonas (UEA)

A Universidade do Estado do Amazonas (UEA) lançou, no último dia 30, um canal com serviços de atendimentos com médicos, enfermeiros e psicólogos para a população por meio do Chatbot, disponível no aplicativo SASI, que automaticamente direcionará o usuário para a área específica de acordo com o relato do paciente.


Ao todo, de acordo com a universidade, 96 profissionais da saúde, entre médicos, enfermeiros e psicólogos estarão à disposição da população diariamente, das 7h às 19h, pelo Call Center Saúde da UEA para Teleconsultas com a finalidade de esclarecer e orientar os usuários sobre as medidas que devem ser adotadas nesse período de pandemia da COVID-19.



Prefeitura de Manaus

Seguindo as recomendações de isolamento e distanciamento social, o serviço de apoio psicológico prestado pela Prefeitura de Manaus também é realizado por meio de um chat online. O serviço online foi criado exclusivamente para atender quem esteja sofrendo com a pandemia, segundo a gerente da rede de atenção psicossocial da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), Efthimia Haidos.


Cerca de 14 profissionais se revezam no atendimento pelo chat, que está disponível pelo site http://covid19.manaus.am.gov.br. O atendimento será inclusive aos feriados, sábado e domingo, das 8h às 16h, e de segunda a sexta-feira, das 7h às 22h.


Ao G1, Efthimia Haidos destacou que mesmo pessoas que não tinham problemas psíquicos, com a pandemia começou a apresentar, ou se agravou, sinais como medo, ansiedade e insônia. “Tem gente que começa até a desenvolver síndrome do pânico”, contou.


Para saber se alguém precisa buscar ajuda psicológica, a gerente da rede explicou que geralmente a pessoa muda o padrão de comportamento, e quando os sintomas começam a prejudicar atividades diárias, é um sinal de alerta.


Como a pessoa encarava situações estressantes antes, e como age agora, começou a ter fortes angústias, tremores, taquicardia, agitação ou está desesperançosa, por exemplo”, sinalizou Efthimia.


O conselho da psicóloga para minimizar os sintomas é focar em outras atividades e limitar o acesso às notícias sobre a pandemia. “Com o grande número de informações, até fake news, pessoas ficam muito impressionadas e desenvolve vários sintomas psíquicos ou de comportamento. A gente recomenda diminuir um pouco o tempo em que fica vendo as notícias, fazer leitura de livros, cursos online e praticar exercícios de respiração e meditação”.

Postagem Anterior Próxima Postagem