Neuropsicóloga aponta os motivos porque muitas pessoas estão com o sono desregulado, trocando a noite pelo dia, e apresentando distúrbios diversos




Muitas pessoas têm vivido durante a quarentena e o isolamento social imposto para conter a covid-19 uma situação de distúrbios do sono, dificuldades para dormir, ansiedade ou até mesmo estão trocando o dia pela noite, o que acaba prejudicando o seu rendimento no trabalho em home office e também afeta sua vida pessoal. Mas, por que isto está acontecendo neste momento?

A neuropsicóloga e psicanalista Leninha Wagner explica como a situação derivada da pandemia do novo coronavírus está mudando os nossos hábitos: “Neste momento de quarentena nossa rotina foi severamente avariada, por estamos fora do ritmo diário normal e isso obviamente irá comprometer a homeostase do organismo. O sono, além de uma necessidade vital, é considerado um processo biológico complexo que se alterna com os períodos de vigília. O ciclo circadiano é o ritmo que distribuirá as atividades biológicas cíclicas de aproximadamente 24 horas, como ocorre com o ciclo sono-vigília. Esse ritmo é controlado pelo sistema nervoso central e sofre as influências de fatores ambientais (luz, temperatura) e sociais (higiene do sono). Estamos sendo afetados negativamente em todas essas circunstâncias ambientais e sociais. Gerando emoções negativas, como depressão e ansiedade, síndrome de pânico, diante de tantas incertezas, isso fatalmente irá causar insônia e suas consequências”.




Qualidade do sono e saúde física e emocional


A Dra. Leninha Wagner aponta que há uma íntima relação entre qualidade do sono e saúde emocional: “A qualidade do sono está intimamente ligada a saúde emocional, mantenha-se saudável emocionalmente e fisicamente. A manutenção da rotina dentro do ritmo circadiano, a boa alimentação, a atividade física, a meditação, a busca por psicoterapia, tornarão sua vida mais saudável dentro da integralidade do ser. O sono coloca nosso cérebro em padrão neural, consolida memórias, filtra metabólicos, promove uma 'psicoprofilaxia', mantém o equilíbrio do sistema imunológico, endócrino, neurológico e de tantas outras funções, inclusive para o controle do peso, já que o sono tem inúmeros benefícios para a saúde do cérebro mas também do corpo, sendo um aliado contra a obesidade”. 



Ansiedade x Insônia

Para a especialista, a ansiedade gerada pela incerteza em relação ao amanhã, no âmbito de saúde pública, socioeconômico e até mesmo político, pode ser apontada como um dos principais causadores da insônia: “Geralmente o nível de ansiedade está alto, ainda que não se perceba, e a tensão acumulada pode ser a explicação para a interrupções do sono. O ideal é ver o que está causando o desconforto, se for físico, pode estar relacionado a necessidade de trocar o colchão, ou trocar a posição da cama, ou ainda lençóis e travesseiros, ou utilizar redutor de ruídos. Mas se isto, já foi feito sem nenhum resultado positivo. Cuide de seu inconsciente. Sugiro, pegar caneta e papel e dar voz ao conteúdo latente de seu interior, tornando-o manifesto, através de palavras escritas. Assim seu cérebro, lhe deixará informada de tudo o que lhe aflige, garantido que o alerta foi dado. Podendo então descansar, tendo uma boa e reparadora noite de sono. Amanhã você resolverá a lista de problemas pela hierarquia da urgência”.


Dicas para uma melhor noite de sono durante a quarentena

As frequentes interrupções do sono, ou insônia afetam níveis de transmissores e hormônios do estresse, o que pode prejudicar o pensamento e a regulação emocional.

1- Rotina na hora de dormir e hora de acordar.;

2- Atividade física durante o dia, no mínimo 03 vezes na semana;

3- Alimentação balanceada;

4- Controle do peso e cuidado com o sistema respiratório;

5- Prepare-se para dormir. Faça a higiene do sono;

6- Evite levar para o quarto aparelhos eletrônicos ou mesmo TV. Desligue-se do mundo;

7- Pratique meditação, limpe a mente antes de dormir, se esvaziando dos problemas;

8- Evite alimentos estimulantes antes de deitar (café, bebidas alcoólicas, etc);

9- Deixe o ambiente escuro, a melatonina necessita da ausência de luz para ser liberada;

10- Considere a possibilidade de buscar ajuda profissional. Um psicólogo poderá ajuda-lo.


Via FV
Postagem Anterior Próxima Postagem