Magistrado aponta indícios de vícios na escolha dos membros da comissão.




A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde, que estava em andamento na Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM) foi suspensa por decisão do desembargador Mauro Bessa que atendeu argumentos levantados pela deputada Alessandra Campelo (MDB), em mandado de segurança para suspender a instauração da CPI.

O magistrado aponta indícios de vícios na escolha dos membros, como na designação do presidente da CPI, decisões tomadas monocraticamente pelo presidente da ALE-AM, Josué Neto (PRTB).

Sem prejuízo de análise mais aprofundada da questão por ocasião do mérito, defiro a liminar requerida na inicial, para o fim de determinar a imediata suspensão dos atos de designação dos membros, de instalação e de nomeação do Presidente da ‘Comissão Parlamentar de Inquérito’, realizados durante a Sessão da Assembleia Legislativa de 14 de maio de 2020”, diz o magistrado em sua decisão.

A CPI pretende investigar possíveis casos de corrupção na saúde do Amazonas, a partir do ano de 2011 até hoje, portanto, nos governos de Omar Aziz, José Melo, David Almeida, Amazonino Mendes e Wilson Lima.


Postagem Anterior Próxima Postagem