O primeiro encontro será para discutir os detalhes dos trabalhos a serem realizados como a metodologia e calendário de reuniões da comissão que investigará os gastos da Saúde




São membros da CPI os deputados Delegado Péricles (presidente), Fausto Júnior (relator), Saulo Vianna (membro), Felipe Souza (membro), Wilker Barreto (membro). Suplentes são os deputados Serafim Côrrea (PSB), Joana Darc (PL) e Carlinhos Bessa (PV).

De acordo com Josué, o deputado Delegado Péricles inicialmente apresentou o pedido de CPI para investigar o caos na saúde do Amazonas, especialmente no combate ao coronavírus (Covid-19) e posteriormente atendeu pedido de outros deputados e ampliou investigação para alcançar governos anteriores.

Josué destacou que a CPI da Saúde está subscrita por 1/3 dos deputados estaduais, ou seja, oito parlamentares, tem um prazo certo de 120 dias e se destina apuração de fato determinado que é a suspeita de malversação de recursos públicos da saúde.

Para a instalação da CPI, a presidência deve se limitar a apreciar requisitos formais previstos na Constituição. Com o efeito entendo que a CPI atende os requisitos formais. Acolho e defiro o requerimento da CPI da Covid-19 e da Saúde do Estado do Amazonas”, disse o parlamentar.

De acordo com Péricles, a pandemia com alta taxa de mortalidade evidenciou a urgente necessidade de transparência por parte da atual gestão e, de igual forma, fiscalização sobre o início do caos.

A CPI vai atuar desde a origem do caos, lá atrás por meio de organizações criminosas na saúde do Amazonas, até o atual momento de superfaturamentos, descentralização de atendimentos, hospitais lotados e sem estrutura adequada, números assustadores de óbitos e avanço incontido do coronavírus”, frisou o deputado.

Postagem Anterior Próxima Postagem