Governador disse que foram registrados 17 pacientes a menos em UTIs




O governador de Nova York, Andrew Cuomo, disse nesta sexta-feira (10) que o número de pacientes com coronavírus em unidades de terapia intensiva UTIs) em todo o estado caiu nessa quinta-feira, em um sinal de esperança de que o aumento das internações em UTIs esteja diminuindo.

Cuomo afirmou que havia 17 pacientes a menos nas unidades de terapia intensiva do estado ontem do que no dia anterior. Foi a primeira queda diária desde o início da epidemia e um indício de que as medidas de distanciamento social estão reduzindo com sucesso a propagação do vírus.

Nova York, epicentro da epidemia nos Estados Unidos (EUA), registrou 7.844 mortes por covid-19, a doença respiratória causada pelo novo coronavírus, quase metade do total no país.

"O que fazemos afetará, literalmente, a vida e a morte de centenas de pessoas", disse Cuomo a jornalistas, acrescentando que as autoridades estaduais estavam "cautelosamente otimistas" com a redução de algumas tendências de hospitalização.

"Continuem fazendo o que estamos fazendo. Fiquem em casa porque isso funciona. Estamos achatando a curva", declarou.

Houve 290 novas internações hospitalares em um dia, acima das 200 do dia anterior, mas muito menos do que uma semana atrás, quando mais de 1.400 nova-iorquinos foram hospitalizados por causa do coronavírus em um dia, segundo Cuomo.

O número diário de mortes em Nova York por coronavírus continua por volta dos 700, com 777 mortes registradas no último dia em comparação a 799 no dia anterior.

Embora Nova York tenha testado cerca de 390 mil pessoas para o coronavírus, mais do que qualquer outro estado dos EUA, Cuomo disse que a disponibilidade limitada de testes pode atrasar a reabertura de empresas e viagens.

O governo federal deveria usar a Lei de Produção de Defesa para aumentar a capacidade de exames nos EUA, disse ele, acrescentando que Nova York, Connecticut e Nova Jersey se unirão a qualquer esforço para ampliar os testes.

"Precisamos de uma mobilização sem precedentes, em que o governo possa produzir esses testes na casa dos milhões", afirmou Cuomo.

*Agência de notícias britânica
Postagem Anterior Próxima Postagem