O mundo vai levar anos para se recuperar do impacto da pandemia do novo coronavírus. Esta foi uma avaliação feita pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), em uma entrevista. Para Angel Gurría, secretário-geral da entidade, o choque econômico por conta da pandemia já ultrapassa a crise financeira de 2008 ou a de 2001, após os ataques de 11 de Setembro aos Estados Unidos. As expectativas econômicas ao redor do mundo não são as melhores e, no Brasil não é diferente. No início do mês de março, a Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) previu que a pandemia poderia custar à economia global até US$ 2 trilhões neste ano (cerca de R$ 10 trilhões).

Diante dessa realidade e preocupado com a grande recessão econômica local, o deputado estadual Felipe Souza (Patriota), indicou ao Poder Executivo liberar de forma gradativa as atividades de pequenas empresas, MEIs e afins, desde que sigam os protocolos de segurança recomendados por órgãos nacionais e internacionais.

“Trabalhadores temem perder os empregos, empresários se veem obrigados a fechar as portas, autônomos não conseguem sustentar os negócios. Esse é, sem dúvida um cenário de pânico. Você não saber como será a situação amanhã ou como manterá a casa, é desesperador para qualquer ser humano” relatou o parlamentar.

Como forma de dar meios pelos quais essa ideia possa ser colocada em prática, o deputado cita no requerimento, que as empresas são um dos focos da Organização Mundial da Saúde (OMS) e que o órgão apresentou protocolos a serem seguidos no ambiente de trabalho para evitar que a doença se espalhe. Manter e dar condições à higiene é o principal deles.

O texto aborda também o Guia Sesi para prevenção à Covid-19 nas empresas. Um manual produzido por médicos do trabalho e infectologistas do Serviço Social da Indústria (Sesi), e tem como objetivo auxiliar organizações a combater a disseminação da doença no ambiente laboral.

“Acredito que com higiene e conscientização manteremos não apenas a saúde física e emocional dessas pessoas como também a economia do nosso estado”, reforçou o deputado.


Via Assessoria de Imprensa 
Postagem Anterior Próxima Postagem