A busca de novas alternativas e soluções efetivas no combate ao coronavírus, mobilizou a maioria dos debates desta quinta-feira (16), na sessão plenária virtual da Assembleia na manhã desta quinta-feira (16) com transmissão ao vivo pelo canal Aleam no YouTube (www.youtube.com/canalaleam). O primeiro a tocar no assunto foi o presidente Josué Neto (PRTB) que, na abertura dos trabalhos, afirmou que tem estudado formas de a sociedade civil aumentar sua participação no problema.

Josué apresentou requerimento solicitando que o Instituto Transire realoque R$ 25 milhões de seu orçamento de Pesquisa e Desenvolvimento para ajudar no combate à pandemia do novo coronavírus (COVID-19). O presidente afirmou que, após pesquisas, chegou-se ao preço unitário de R$ 3,85 para confecção de máscaras de proteção, nos moldes aprovados pelo Ministério da Saúde e que esses recursos servirão para comprar o material e pagar as cooperativas de costureiras, além associações de bairro e empresas de vendas de tecidos. O deputado Cabo Maciel (PL) solicitou subscrição no requerimento e pediu que o interior seja incluído nessa nova ação.



Apoio

Em aparte, o deputado Sinésio Campos (PT) declarou apoio ao requerimento de Josué e afirmou que algumas empresas do Polo Industrial de Manaus deveriam se ajustar à nova realidade e passar a fabricar insumos para ajudar, como a empresa 3M que está fabricando máscaras.

O deputado Carlinhos Bessa (PV) se disse preocupado com a ação na justiça que barrou a decisão do governo estadual de alugar o hospital Nilton Lins, que segundo ele, possui toda a estrutura para receber os pacientes infectados.

Wilker Barreto (Podemos) afirmou que a Agência de Fomento do Amazonas (Afeam) deve abrir linhas de financiamento para costureiras e suas cooperativas para viabilizar a compra de material para a confecção de máscaras.



Informações

O deputado Augusto Ferraz (DEM) apresentou requerimento para que o governo do Amazonas disponibilize um link na sua página oficial na internet que aglutine todas as informações e ações realizadas no combate ao COVID-19, a exemplo do Governo Federal.

Abdala Fraxe (Podemos) reiterou seu pedido para que o hospital Beneficente Portuguesa seja utilizado pela prefeitura e governo do Estado.

Sinésio Campos apelou para que o governador sancione a Lei, aprovada semana passada, que quebra o monopólio da venda de gás natural no Amazonas.



Lei do Gás Natural


Em aparte, o autor da Lei, Josué Neto, afirmou que na próxima semana o projeto chegará ao governo do Estado para apreciação do governador, que deverá sancionar ou vetar a Lei.

Josué aproveitou para citar os benefícios que virão com a promulgação da Lei, como a criação de cerca de 30 mil novos empregos no interior, segundo estudo realizado pela Fundação Getúlio Vargas, além de trazer mais recursos para o Amazonas. Josué conclamou os deputados e deputadas a derrubarem o veto, caso seja essa a decisão do governador.



Via DirCom ALEAM
Postagem Anterior Próxima Postagem