“O governo do Amazonas não é planejador de políticas públicas eficazes na saúde, não se alinha com as necessidades da população e não é um fiscalizador de metas e resultado”, afirma Wilker Barreto 


HOJE(4), pela manhã na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas, no auditório Cônego, foi realizada uma audiência pública de saúde, com a presença do secretário de Estado de saúde Rodrigo Tobias, presidente da comissão de saúde Drª. Depª. Mayara e dos deputados Wilker Barreto, Dermilson Chagas, Ricardo Nicolau, Dr Gomes, Saullo Vianna e Joana Darc.

A audiência pública começou com o secretário de Estado de saúde Rodrigo Tobias explanando o modelo de Organizações Sociais de saúde(OSs), que deve ser entendido, pois faz parte de necessária reforma do aparelho do Estado.

“O Brasil passa por um momento em que movimentos sociais pedem mais educação, segurança e saúde. São bandeiras legítimas e, sobre a necessidade de melhorias nos setores, não há dissenso. Embora os pleitos sejam importantes, creio que a saúde esteja à frente dos demais. Num período de debates, o modelo de Organizações Sociais (OSs) deve ser entendido, pois faz parte de necessária reforma do aparelho do Estado.”, explana Rodrigo Tobias, secretario de


“Para entender a questão, é necessário acabar com alguns mitos: o primeiro é o de que as OSs significam a privatização dos serviços públicos de saúde. Privatizar é vender uma estatal para a iniciativa privada. No caso das OSs, ocorre a transferência da gestão de unidades que permanecem públicas e com atendimento exclusivo ao SUS. A gestão do sistema de saúde permanece como uma atividade exclusiva e indelegável do Estado. O objetivo é oxigenar as unidades, aproximando-as do conceito privado, de modo que os usuários do SUS sejam atendidos em centros públicos de saúde equiparáveis aos privados”, desabafa Tobias, secretario de saúde

“Estudo patrocinado pelo Banco Mundial comprovou que os índices de mortalidade dos hospitais sob gerenciamento de OSs caem até a metade dos apresentados pelos hospitais da administração direta, e o custo de procedimentos e internações é sensivelmente menor nos centros gerenciados. Essa melhoria na qualidade e redução de custos tem sido experimentada no estado do Amazonas”, esclarece Tobias, secretário de saúde

Depois da explanação do secretario de Estado de saúde Rodrigo Tobias, chegou a vez do deputado fazer a sua fala,

“Não estou questionando a legalidade e sim! A gestão por Organizações Sociais de Saúde(OSs), no Governo Wilson Lima, que não tem controle e nem eficiência. O governador e o secretário precisam explicar para a sociedade qual o estudo técnico eles usaram para explicar esse chamamento público. É muito dinheiro para pouco serviço oferecido. Eles precisam convencer sobre esse alto custo para o Tribunal de Contas e a Aleam. O serviço do hospital Delphina Aziz é um desastre. Falta gestão”, diz Wilker Barreto.


Via Noticias do Poder
Foto: Ronaldo Siqueira
Postagem Anterior Próxima Postagem