De olho nos prejuízos ocasionados pela pandemia do coronavírus (Covid-19) e numa série de outras implicações econômicas que já afetam autônomos, microempreendedores e comerciantes que estão em casa, em quarentena, seguindo as recomendações dos órgãos de saúde, o deputado estadual Felipe Souza (Patriota), solicitou ao governador, Wilson Lima (PSC), e ao diretor-presidente da Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), Marcos Vinicius Castro, uma linha de crédito desburocratizada e facilitada com prazos e carências estendidos e taxas de juros reduzidas, bem abaixo do que é praticado atualmente, para que os profissionais desses setores tenham condições de financiar o capital de giro necessário e de ultrapassar o período de impacto das receitas por causa da atual situação de calamidade pública.

O parlamentar avalia que a partir dessa decisão será possível evitar o aumento na taxa de desemprego e um maior prejuízo econômico. “Devemos valorizar e reconhecer o esforço dos que tanto ajudam no crescimento sustentável da nossa região, pois sabemos que é esperada uma redução geral das atividades econômicas, em especial nos setores de comércio e serviços”, salientou Felipe.




Felipe Souza solicita ao governo um “disk coronavírus” para suspeitas da Covid-19


O aplicativo WhatsApp é a ferramenta de conversação mais utilizada mundialmente. Segundo pesquisas da Senso Tower, desde 2016, o canal lidera o ranking de aplicativos mais baixados do ano e em 2020 ele já superou os 2 bilhões de downloads. As estatísticas revelam que, no Brasil, está concentrado o segundo maior número de usuários ativos do mundo, atrás apenas da Índia.

Levando em consideração esses dados, sabendo que hoje o WhatsApp é o meio de comunicação mais usado também entre os amazonenses e que o Amazonas é um estado de enorme dimensão territorial e medidas de prevenção contra a Covid-19 precisam atentar para esse fato. O deputado estadual Felipe Souza (Patriota), enviou ao governador, Wilson Lima (PSC), um requerimento em forma de indicação para que o Estado disponibilize além de um canal direto via WhatsApp com as autoridades de saúde, uma linha telefônica para aquelas comunidades que ainda utilizam esse tipo de comunicação. A ideia é facilitar o contato da população com os órgãos competentes em caso de suspeita ou contaminação pelo coronavírus.

As recomendações do Ministério da Saúde é para que se busque atendimento presencial nos centros hospitalares apenas quem apresentar febre alta (acima de 39°C) e dificuldade para respirar. De acordo com essa regulamentação, o parlamentar lembra que há pessoas que estão vivendo em quarentena sozinhas e que precisam sair de casa, seja para garantir seu sustento ou realizar outra atividade emergencial, se tornando mais suscetíveis à doença Covid-19 e a abalos emocionais. Ter uma linha telefônica e um número de WhatsApp, com atendentes preparados para esse tipo de situação, é de extrema necessidade a toda sociedade e, especialmente, a esse grupo de pessoas que enfrentam o caos sozinhas, afirma o parlamentar.





Via Assessoria de Imprensa

Foto: Wilkson França
Postagem Anterior Próxima Postagem