Felipe Souza também sugere parcerias com hotéis para hospedar profissionais da saúde


O novo coronavírus (Covid-19) é um marco na história da saúde mundial. Um vírus letal, capaz de se espalhar e matar rapidamente milhares de pessoas de diversos continentes, precisa ser controlado urgentemente. Trata-se de uma doença desconhecida, perigosa, dolorosa, até então sem cura e que pode ser fatal.

Alguns deputados federais de várias legendas, apresentaram propostas para destinar R$2.035 bilhões do Fundo Especial de Financiamento de Campanhas (FEFC) para ações de combate à pandemia de coronavírus no Brasil. O fundo eleitoral prevê dinheiro para custear as campanhas para a sucessão municipal prevista para o mês de outubro.

“De nada vale todo esse dinheiro investido em campanha, se não houver eleitores ou até mesmo candidatos. Nunca, em tempo algum, na história do país, se fez tão necessária uma ação como essa. São mais de R$2 bilhões de recursos públicos que podem mudar a história da humanidade. Pegar esse dinheiro e investir na saúde, no combate a esse vírus, é dizer sim à vida”, ressaltou o deputado Felipe Souza, pré-candidato a Prefeito de Manaus e atual Presidente do Partido Patriota. O parlamentar também faz parte da Bancada do Amazonas, que apoia a iniciativa.

Os Projetos de Lei (PL) que tramitam no Congresso Nacional para esse fim ainda serão despachados para análise nas comissões permanentes da Câmara.




Felipe Souza sugere parcerias com hotéis para hospedar profissionais da saúde

Sensível aos problemas de ordem pública enfrentados pelos profissionais da Saúde que diariamente estão expostos ao novo coronavírus (Covid-19), por trabalharem na linha de frente com a situação, o deputado estadual Felipe Souza (Patriota) fez um apelo ao governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), na manhã deste sábado (21), para que o estado feche parcerias com hotéis para hospedar os médicos e demais profissionais da área. Um hotel para alojar profissionais sem sintomas de Covid-19 e um outro para os profissionais sintomáticos.

O objetivo é salvaguardar a vida dos familiares desses trabalhadores, que muitas vezes fazem parte do grupo de risco da doença. O isolamento domiciliar do paciente infectado, ou daquele em contato direto com esses pacientes, pode deixar a desejar, além de ser extremamente trabalhoso, oneroso e perigoso por se tratar de um vírus respiratório que se espalha rapidamente pelo contato entre pessoas.

Em todo o mundo já são milhares de vítimas dessa pandemia que assola a humanidade. Dentre os mortos, centenas de médicos fazem parte da triste estatística. “Precisamos promover a esses profissionais, em situação tão delicada, um momento de paz, sabendo que eles não levarão para suas casas o risco da contaminação”, salientou o deputado.

A ideia surgiu após conversa com alguns profissionais de saúde. Entre eles, uma pediatra que conta que além dela outros dois integrantes da família também são médicos e já acordaram que, se apresentarem os sintomas característicos da doença, vão para uma propriedade fechada da família ficar em isolamento. A especialista enxerga com clareza a dimensão dos danos que pode causar, voltando para casa após o trabalho. Com uma mãe idosa, esposo com problema de coração e filho asmático, a médica avalia com bons olhos a possibilidade de ter um lugar para voltar, alheio ao lar, após os plantões.

Caso o pedido seja aprovado, a ação beneficiará e trará mais alívio a esses guerreiros de jaleco que, ao contrário de nós, não podem parar.



Via Assessoria de Imprensa

Foto: William Rezende
Postagem Anterior Próxima Postagem