O Amazonas tem 26 casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19) e 24 casos em investigação. O novo balanço foi divulgado neste domingo (22/03) durante coletiva de imprensa on-line concedida pelo secretário Estadual de Saúde, Rodrigo Tobias, e pela diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), Rosemary Costa Pinto.

Entre os casos confirmados, 25 foram para isolamento social e um está internado no Hospital Delphina Aziz, referência no estado para casos de internação da Covid-19. O internado, trata-se de um paciente de Parintins que está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), porém estável. Também foi informado que todos os outros casos suspeitos dos municípios do interior que estavam sendo investigados deram negativo.

O Governo do Amazonas mudou a forma de divulgação dos números. A partir de agora, não serão mais informados os casos notificados como suspeitos, apenas os confirmados e os que estão em investigação. Também serão divulgados os casos confirmados dos municípios.

A decisão de mudar a forma de divulgação de casos tem como base a decretação de Estado de Calamidade Pública pelo Governo Brasileiro. Em coletiva neste sábado, o secretário executivo do Ministério da Saúde, José Gabardo Reis, destacou que, a partir da transmissão comunitária, "qualquer brasileiro é um potencial suspeito”.

“Eu gostaria de esclarecer que, uma vez que o país entrou numa nova fase de transmissão comunitária, então a partir de agora, as ações de vigilância também passam a ter uma outra atuação. Doravante, cada pessoa passa a ser um potencial portador do novo coronavírus (Covid-19). Portanto, nós não divulgaremos mais casos suspeitos, nós vamos agora focar apenas nos casos confirmados e nos casos em investigação”, disse Rosemary Costa Pinto.

Apesar do Ministério da Saúde ter anunciado que há transmissão comunitária no País, o Amazonas ainda está na fase de transmissão local, segundo a FVS. É quando se identifica os pacientes infectados pelos “importados”. A fase de transmissão comunitária é a que não se pode mais identificar quem passou para quem. “Nós estamos em fase de transmissão local. Mas o país inteiro hoje vive uma situação, principalmente grandes estados da federação, uma situação em que já não se consegue mais saber quem transmitiu para quem e a tendência é essa. Com o aumento do número de casos, fica difícil fazer esse segmento. Em função disso, o Ministério da Saúde tomou essa decisão de declarar o país inteiro como área de transmissão comunitária para apressar as medidas, principalmente de isolamento social, porque quanto menos pessoas circularem, menos pessoas serão contaminadas pelo vírus”, disse a epidemiologista, ressaltando que a forma mais eficaz de não contrair o novo coronavírus é ficando em casa.

O secretário Rodrigo Tobias explicou que o Estado entrou na segunda-fase do Plano de Contingência e definiu que, a partir dessa segunda-feira (23/03), o Hospital Delphina Aziz, na zona norte, fecha as portas para os demais atendimentos de urgência e emergência e ficará exclusivo para internação de casos graves que precisam de cuidados.

“As pessoas que comumente procuram o Delphina Aziz, em caso de urgência, na verdade eles vão procurar as outras unidades, nós temos a UPA Campos Sales que faz parte do complexo Delphina Aziz e pelo menos os outros nossos SPAs que, nesse momento, dado à redução do número de consultas, do número de exames e também de ambulatórios, toda a nossa equipe fica à disposição da população, principalmente aqueles pacientes crônicos que precisam de um apoio, que precisam de um atendimento médico”.

Segundo ele, o Delphina Aziz possui 50 leitos de UTI prontos e equipados para receber pacientes graves e a secretaria está trabalhando para expandir, num primeiro momento, para 150 leitos e depois para mais, conforme a necessidade. Além disso, a unidade tem capacidade de expandir ainda mais os leitos de semi intensiva, uma vez que nem todos os graves precisam de UTI. Foi feita uma organização da rede para que pacientes do Delphina Aziz sejam todos transferidos, ficando a unidade exclusiva para o tratamento de coronavírus.

Tobias ressaltou, no entanto, que as transferências para o Delphina Aziz serão reguladas. A porta de entrada para casos suspeitos continua sendo as Unidades Básicas de Saúde, os SPAs, as UPAs e os Prontos-Socorros e apenas os casos graves serão transferidos. Se não estiver grave, a recomendação é o isolamento domiciliar.

“Os casos graves identificados serão regulados, terá uma remoção desses pacientes para o Delphina Aziz. Esses pacientes que necessitam de estrutura de urgência e emergência, eles não vão chegar no Delphina Aziz por si só, eles vão ser regulados pelo sistema de saúde. Dada essa condição, hoje temos a estrutura necessária e confortável de acomodar todos aqueles que precisam de leitos de urgência e emergência”.

O secretário também reforçou que a rede de saúde estadual está abastecida com Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para profissionais e pacientes e aguardando a remessa de novas aquisições para os próximos três meses, que estão chegando tanto por meio do Estado como pelo Ministério de Saúde.

A diretora da FVS ressaltou a importância de as pessoas seguirem as recomendações de isolamento social, citando os estudos que indicam que dos 20% dos casos positivos que têm o potencial de agravar, 5% podem necessitar de UTI. “Oitenta por cento dos casos, segundo todos os estudos, até agora, são casos mais leves, mais brandos, como aquela gripe ou resfriado que nós estamos acostumados a ter todos os anos. Por isso, a necessidade de mantermos o isolamento social e de preservamos os leitos hospitalares para aqueles que realmente precisam de atendimento”.

O secretário lembrou que a rede estadual de saúde está se readequando para que todos os esforços se concentrem no Delphina Aziz e no enfrentamento ao coronavírus. Nesse sentido, a partir dessa segunda-feira, os Centros de Atenção Integral à Criança (CAICs) e os Centros de Atenção à Melhor Idade (CAIMIs) fecharão as portas e as Policlínicas farão apenas atendimentos essenciais de pacientes crônicos em acompanhamento ambulatorial.

A ideia é que a mão de obra dessas unidades seja realocada para o enfrentamento à Covid-19. O Governo do Estado também vai destacar profissionais dessas unisdade para atuar junto com a Prefeitura de Manaus na Campanha de Vacinação contra a Influenza, que inicia nessa segunda-feira para o público idoso e profissionais de saúde.




Entenda como é feito o atendimento em caso suspeito de coronavírus (Covid-19)

O protocolo orientado pelo Governo Federal via Ministério da Saúde, que é cumprido pela Secretaria de Estado de Saúde (Susam), bem como pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), define critérios claros a serem adotados, em casos suspeitos do novo coronavírus (Covid-19).

A principal orientação é que a população só deve buscar a realização do teste para o coronavírus, se apresentar, principalmente, febre, associada a algum sintoma respiratório (tosse e falta de ar).

O primeiro passo recomendado para as pessoas que apresentem sintomas de Covid-19 é procurar atendimento inicial em unidades básicas de saúde da rede pública estadual ou municipal, ou ainda na rede particular. O paciente deve informar, no primeiro atendimento, sobre a suspeita da doença. Na etapa de triagem, o paciente é direcionado a uma sala isolada, onde recebe uma máscara e é feito o atendimento médico.

A diretora do SPA Joventina Dias, Elcinei Sampaio, explicou como é feito o atendimento inicial dos pacientes. “O protocolo é chegar até a nossa recepção, a nossa triagem, onde é feita a entrevista para saber se esse paciente viajou para fora do país, para fora do Estado ou se ele convive com alguém que viajou para fora do país, onde tem foco de coronavírus. Toda a rede pública e a rede privada encontram-se treinadas pelo Governo, pela Secretaria de Saúde, para desenvolver esse trabalho e para receber as pessoas que precisarem de atendimento em relação ao coronavírus”, garantiu a diretora do SPA.

A avaliação médica é o que vai definir se o paciente atende aos requisitos de caso suspeito. Se o médico considerar que está diante de uma definição de caso suspeito, será acionada a Vigilância Epidemiológica da FVS ou da Semsa (Secretaria Municipal de Saúde), para que seja feita a coleta de material pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Amazonas (Lacen), credenciado junto ao Ministério da saúde.

Exame – Após a coleta de material, há um prazo de 48 horas para o diagnóstico laboratorial. A coleta de material da naso-faringe do paciente é feita por equipes especialmente treinadas pelo Lacen.

A diretora-presidente da FVS, Rosemary Costa Pinto, orientou o que deve ser feito pelo paciente, enquanto ele espera o resultado do exame. “Vai depender do estado clínico dele. Se ele está em um estado que precisa de internação, ele vai ser internado e mantido em isolamento dentro do hospital. Caso contrário vai ser liberado, com as recomendações de se manter isolado e esse isolamento precisa ser obedecido, ou seja, não deve entrar em contato com mais ninguém da família, tem que ficar em um quarto bem arejado, tem que se alimentar adequadamente, usar água e sabão para lavar as mãos, medidas adequadas com relação à higienização de sanitários, levando em conta que o vírus pode ser excretado pelas fezes”, pontuou Rosemary.

Quando o resultado do exame sair, se for positivo, as medidas de controle serão intensificadas, aliadas ao tratamento. Durante esse período, o quadro de saúde do paciente é monitorado pelas equipes de Vigilância Epidemiológica. Se o paciente apresentar sinais de gravidade, será encaminhado para atendimento.

“Se não for um caso que exija internação, o tratamento será em casa, porque é necessário mantermos os leitos hospitalares para aquelas pessoas que realmente precisam de um atendimento hospitalar. Não é recomendado que pessoas com sintomas leves façam testes e nem fiquem hospitalizadas”, frisou diretora-presidente da FVS.

Conforme os estudos, 80% das pessoas acometidas pela Covid-19 apresentam sintomas leves, apenas 20% agravam e, desses, 5% irão apresentar complicações, precisando de internação em UTI.


Passo a passo do atendimento em casos suspeitos:

- Se apresentar sintomas, o paciente deve buscar atendimento em unidades de saúde da rede pública ou privada.

- No primeiro atendimento, o paciente deve informar sobre a suspeita da doença.

- O paciente é direcionado a uma sala de isolamento, onde recebe uma máscara e aguarda atendimento médico.

- O médico avalia se o paciente atende os requisitos de caso suspeito e aciona a Vigilância Epidemiológica da FVS ou Semsa.

- O Laboratório Central é acionado para fazer coleta de material da naso-faringe do paciente, com prazo de até 48 horas para resultado.
- Durante esse período, o paciente é colocado em isolamento domiciliar e o quadro de saúde é monitorado pela Vigilância Epidemiológica.

- Em casos positivos, as medidas de controle serão intensificadas, aliadas ao tratamento do paciente em casa ou unidade hospitalar, de acordo com a gravidade do caso.

- Se o paciente estiver em casa e apresentar piora no quadro, a Vigilância providencia a remoção dele para uma unidade de Urgência e Emergência, para atendimento e tratamento.




Canais para exibição de aulas na TV da rede estadual já estão disponíveis para sintonização

Regime especial de aulas não presenciais começa nesta segunda-feira (23/03)

O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Educação e Desporto e a TV Encontro das Águas, já colocou no ar os três canais de televisão aberta (2.2, 2.3 e 2.4) para transmissão do regime especial de aulas não presenciais que começa nesta segunda-feira (23/03). Com o objetivo de dar continuidade ao ano escolar 2020 em Manaus e nos municípios de Iranduba, Manaquiri, Careiro da Várzea e Rio Preto da Eva também serão disponibilizadas aulas pelo YouTube por meio do link: https://bit.ly/cemeamYT. A estimativa é que cerca de 180 mil alunos sejam atendidos pelas transmissões.

O início do regime especial de aulas não presenciais inicia na manhã desta segunda-feira (23/03), a partir das 8h. No canal 2.2, serão transmitidos os conteúdos para os alunos do 6º e do 8º do Ensino Fundamental e do 1º ano do Ensino Médio, nos seguintes horários: das 8h às 11h20 (6º ano), das 13h às 16h20 (8º ano) e das 18h às 21h20 (1º ano).

Já o canal 2.3 apresentará os conteúdos para os estudantes do 7º ano, das 8h às 11h20; 9º ano, das 13h às 16h20; e 2º ano, das 18h às 21h20. Enquanto isso, o canal 2.4 terá transmissão exclusiva paras as aulas do Ensino Médio: das 8h às 11h20 (1º ano), das 13h às 16h20 (2º ano) e das 18h às 21h20 (3º ano).

Como acessar - Para acessar os canais 2.2, 2.3 e 2.4 da TV Encontro das Águas, é necessário que os estudantes ou pais/responsáveis realizem uma atualização nos canais abertos do seu aparelho de televisão. Vale ressaltar que os televisores, independente de marca, têm processos parecidos na busca de novos canais.

Basta acessar o menu pelo controle remoto e procurar a opção que mais se assemelha a “busca de canais”. Em alguns televisores, esta opção se chama “busca/sintonia automática”, “ressintonia”, “programação de canais” ou “atualização de canais”. Depois de encontrar, é só clicar na opção e seguir as orientações da tela, aguardando até o final do processo.

Ao concluir esta etapa, os novos canais da emissora já estão disponíveis.

Reexibição – Com o objetivo de revisar os conteúdos, haverá, ainda, a reexibição das aulas do dia anterior, que permitirá a possibilidade de acesso aos que não acessaram os conteúdos. Além disso, o aluno poderá, também, conferir as atividades complementares disponíveis no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), por meio do link https://bit.ly/2U5ghag, e buscar leituras complementares, exercícios de capítulos dos livros didáticos e trabalhos de pesquisa, que devem ser indicados pelos professores por meio de contato.

Plataformas virtuais - Todas as aulas, orientações e exercícios estarão disponibilizados no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) e na plataforma Saber+. Caso os alunos e professores não consigam acompanhar as aulas nos horários da televisão, o conteúdo estará todo no AVA.

Para os estudantes, será disponibilizada a plataforma de interatividade com o aplicativo “Mano”, que pode ser baixado nas lojas do Google Play e Apple Store. Por meio do aplicativo, será possível tirar dúvidas durante a transmissão das aulas.



Estudantes da rede estadual também podem assistir aulas por aplicativo de celular durante regime especial

O app “Mano” está disponível para download nas lojas do Google Play e Apple Store

Durante o programa “Aula em Casa”, regime especial de aulas não presenciais que inicia nesta segunda-feira (23/03), por meio da TV Encontro das Águas, a Secretaria de Estado de Educação e Desporto contará com três canais no aplicativo “Mano”, plataforma disponível para download nas lojas do Google Play e Apple Store. A ideia do Governo do Amazonas é que a ferramenta não só auxilie na compreensão dos assuntos trabalhados, como, também, aumente a interatividade entre o aluno e o professor.

Com o aplicativo “Mano”, o estudante terá acesso a todo um conteúdo multimídia que também será disponibilizado pela televisão aberta e poderá, ainda, efetuar áudio e/ou videochamadas. Para utilizá-lo durante o “Aula em Casa”, basta baixá-lo, gratuitamente, e procurar pelos canais seduc-am1, seduc-am2 e seduc-am3, que estarão abertos no decorrer das transmissões.

Caso o aluno não consiga achar os canais, ele poderá acessá-los pelos links: https://assista.mano.tv/seduc-am1- (1º, 2º e 3º ano do Ensino Médio),
https://assista.mano.tv/seduc-am2- (6º e 8º ano do Ensino Fundamental e 1º ano do Ensino Médio) e https://assista.mano.tv/seduc-am3- (7º e 9º ano do Ensino Fundamental e 2º ano do Ensino Médio).

Mesmo com as primeiras aulas do programa já gravadas, a Secretaria de Educação estará com professores à disposição para esclarecer dúvidas.

Outras funções - Além de ferramenta essencial para o “Aula em Casa”, o aplicativo “Mano” possui, também, uma série de utilidades que deverá auxiliar os estudantes durante o regime especial de aulas não presenciais. Com ele, o aluno terá acesso a outros canais interativos e poderá criar grupos online, compartilhando fotos, vídeos e áudios.

Mais ferramentas - Junto ao aplicativo “Mano”, outras plataformas virtuais terão papel fundamental ao longo do “Aula em Casa”. Todas as aulas, orientações e exercícios do programa estarão disponíveis no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) e na plataforma Saber+.

Caso os alunos e professores não consigam acompanhar as aulas nos horários da televisão, o conteúdo estará todo no AVA.

Sobre o Aula em Casa - O programa é executado em parceria entre a Secretaria de Educação e Desporto e a TV Encontro das Águas e vai possibilitar a transmissão de aulas em três canais de televisão aberta e em plataformas online. Além de Manaus, a transmissão será feita para Iranduba, Manaquiri, Careiro da Várzea e Rio Preto da Eva, atendendo 180 mil estudantes. As aulas começam na segunda-feira (23/03), nos canais 2.2, 2.3 e 2.4.

Em alguns equipamentos de televisores, esses canais estão aparecendo também como 32, 33 e 34. Por isso, caso você já tenha atualizado a sua grade e não tenha encontrado os canais iniciais, continue procurando com outras numerações. Os canais podem ter sido atualizados com numeração diferente a depender do aparelho receptor do sinal.

Para mais informações: https://bit.ly/2vDbMds.

PMAM e FVS-AM fecham 23 estabelecimentos denunciados por descumprir decreto de prevenção ao coronavírus

Vinte e três empreendimentos, a maioria deles igrejas, que estavam descumprindo o decreto assinado pelo governador Wilson Lima, sobre a suspensão do funcionamento de bares, restaurantes e templos religiosos pelos próximos 15 dias, foram fechados pela Polícia Militar do Amazonas (PMAM) e pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), entre a noite deste sábado (21/03) e madrugada de domingo (22/03), em Manaus.

Desde o início da noite de ontem, em uma ação coordenada pelo secretário de Segurança, coronel Louismar Bonates, e pelo comandante-geral da PMAM, coronel Ayrton Norte, o efetivo de policiais militares que estava de serviço na capital vistoriou bares, restaurantes, praças de alimentação, igrejas, entre outros espaços com atendimento ao público, para orientar sobre a necessidade de fechamento em virtude do risco da proliferação do coronavírus. Em Manaus, há 11 casos confirmados.

Durante as ações, os agentes de segurança entregaram uma cópia do decreto e aguardaram o fechamento dos espaços, até que todos os clientes efetuassem o pagamento do consumo. Esse trabalho alcançou toda a capital.

Denúncias - O serviço emergencial 190 recebeu diversas denúncias que embasaram novas ações de fechamento de espaços com atendimento ao público. A partir delas, 23 espaços foram fechados pelas equipes da PMAM e da FVS-AM.

Dos espaços fechados, 11 eram igrejas ou templos religiosos. Foram cinco bares e três restaurantes. Houve também o fechamento de espaços como feiras e praças de alimentação.


Via Secom
Foto: Diego Peres / SECOM
Postagem Anterior Próxima Postagem