Cerimônia marca início de uma série de ações para estimular a prática do esporte no País, não só de alto rendimento, mas também nas escolas e para a terceira idade



O Presidente Jair Bolsonaro condecorou, nesta quarta-feira (19), 14 medalhistas olímpicos com a entrega da Cruz do Mérito Desportivo, durante cerimônia em celebração aos 100 anos de participação brasileira no maior evento esportivo do mundo: as olimpíadas. A celebração marca o início do Projeto Centenário Olímpico, que prevê uma série de iniciativas de promoção da prática de esportes não só de alto rendimento, mas também nas escolas e para a terceira idade. Estão programadas ações de combate ao sedentarismo, inclusão social, esporte na escola e na universidade.

"É um dos valores que queremos ressaltar em nossas crianças e jovens, de modo que essa geração e as gerações que virão encontrem no esporte um grande aliado. Por meio do esporte, ganhamos mais do que saúde. A prática esportiva nos garante lições e princípios que extrapolam os limites das quadras, dos campos, das pistas e das piscinas. São valores que se aplicam a todas as etapas de nossas vidas", disse o secretário especial do Esporte, Décio dos Santos Brasil, durante a cerimômia.

Para a atleta homenageada Natália Falavignia Silva, medalhista de bronze no Taekwondo em 2008, o esporte deve ser apoiado em todas as suas vertentes. “O esporte nada mais é que a representação da vida. Ele vai te ensinar a perder, a ganhar, a sofrer frustrações, a valorizar o processo e não só a vitória. São coisas que qualquer ser humano passa ao longo da sua vida. Se a gente quer um Brasil melhor, ele passa por meio de uma série de coisas, e uma delas é o esporte.”

O velejador Lars Grael, bronze em Seul e Atlanta, que também foi homenageado, considera essencial o governo valorizar o esporte. “É ter o esporte como mecanismo fundamental de valorização da educação e da saúde preventiva. É o estímulo à atividade física, à educação física nas escolas e à representação da imagem do Brasil no exterior”, destacou.

O secretário Nacional de Alto Rendimento na Secretaria Especial do Esporte, do Ministério da Cidadania, Emanuel Rego, destacou que este momento, de preparação para as olimpíadas, é ideal para fomentar o esporte nacional. “Uma das propostas do programa do centenário é fazer com que o esporte cresça, o combate ao sedentarismo, a inclusão social, o esporte na escola, na universidade. Nosso desejo é fazer com que o Brasil respire mais esporte.”

Na solenidade, foi montada uma exposição fotográfica e apresentados moeda e selo comemorativos. Livros, vídeos, palestras, exposições e outros produtos serão lançados ao longo do ano, sempre em datas representativas para o esporte nacional.
Homenageados

Foram homenageados atletas como Guilherme Paraense, primeiro medalhista do país (ouro em 1920), Maria Lenk, pioneira olímpica entre as mulheres da América do Sul, e Isaquias Queiroz, maior medalhista do Brasil em uma única edição das Olimpíadas (duas pratas e um bronze em 2016).

A lista ainda inclui o ginasta Arthur Zanetti (ouro em 2012 e prata em 2016), os judocas Aurélio Miguel (ouro em 1988 e bronze em 1992) e Rogério Sampaio (ouro em 1992), a jogadora de basquete Janeth dos Santos (prata em 1996 e bronze em 2000), os velejadores Lars Grael (bronze em 1988 e 1996), Marcelo Ferreira (ouro em 1996 e 2004 e bronze em 2000) e Torben Grael (ouro em 1996 e 2004, prata em 1984 e bronze em 1988 e 2000), a lutadora de taekwondo Natália Falavigna (bronze em 2008), a nadadora Poliana Okimoto (bronze em 2016 na maratona aquática), o jogador de vôlei de praia Ricardo (ouro em 2004, prata em 2000 e bronze em 2008) e o boxeador Robson Conceição (ouro em 2016).


Via Assessoria de Imprensa 
Postagem Anterior Próxima Postagem