O Amazonas tem 151 pessoas com diagnósticos confirmados do novo coronavírus (Covid-19) nesta segunda-feira (30/03). Nas últimas 24 horas, foram identificados dois casos de Covid-19 no interior: um em Novo Airão e um em Parintins. Em Manaus, foram mais nove casos diagnosticados.

Com a atualização dos dados, sobe para 11 o número de diagnósticos positivos no interior - Parintins (3), Boca do Acre (1), Santo Antônio do Içá (1), Manacapuru (2), Itacoatiara (2), Anori (1) e Novo Airão (1). Enquanto em Manaus o total de infectados chegou a 140.

Na live transmitida nesta segunda-feira pelas redes sociais do Governo do Amazonas para atualização de informações sobre o novo coronavírus, o secretário de Estado de Saúde, Rodrigo Tobias de Sousa, informou que está em execução um plano para ampliar o total de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz, na zona norte de Manaus, que é a unidade referência para o atendimento de pacientes graves da doença no Amazonas.

Atualmente, o Delphina Aziz tem 50 leitos de UTI disponíveis para pacientes graves de Covid-19. Nesta segunda-feira, dos cinco pacientes internados no hospital, quatro estão em leitos de UTI.

“Pensando na expectativa de ampliação de leitos, estamos recebendo mais dez leitos do Ministério da Saúde. E pensando em uma fase 2 de ampliação desses mesmos leitos, estamos identificando os respiradores mecânicos que temos na rede hoje e transferindo para o Delphina Aziz”, disse o secretário da Secretaria de Estado de Saúde (Susam).

Rodrigo Tobias destacou também que, além dos 50 leitos de UTI, o Delphina Aziz conta com 84 leitos clínicos, que estão disponíveis para pacientes de Covid-19 que precisam de internação, mas que o quadro de saúde não exige cuidados intensivos. 

FTI - O governador Wilson Lima anunciou que, nesta segunda-feira, o Governo do Amazonas começa a liberar para os municípios do interior a primeira parcela do Fundo de Fomento ao Turismo, Infraestrutura, Serviços e Interiorização do Desenvolvimento do Amazonas (FTI) do ano de 2020, no valor de R$ 23 milhões.

Segundo Wilson Lima, a liberação do recurso tem uma prioridade, que é ajudar os municípios a investirem em ações de combate ao novo coronavírus, como contratação de recursos humanos e compra de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

Curados – Durante a live, a diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), Rosemary Costa Pinto, informou que subiu para quatro o número de pessoas consideradas curadas do novo coronavírus. Todos esses pacientes estavam em isolamento domiciliar e completaram os 14 dias de quarentena indicados pelas autoridades.

Questionada sobre o Amazonas ser o Estado da região Norte com o maior número de casos do novo coronavírus, Rosemary Pinto disse que isso pode ser reflexo da qualidade do sistema de vigilância local, que tem identificado casos suspeitos e liberado diagnósticos em tempo oportuno.


“Nós temos uma excelente rede de vigilância epidemiológica, que é muito sensível, que notifica, e com a identificação nós vamos investigar e identificar quem realmente atende definição de caso para fazer coleta de amostras biológicas. Essas amostras são encaminhadas para o Laboratório Central de Saúde Pública do Amazonas (Lacen-AM), que é um excelente laboratório, de referência, e tem agilidade na liberação de resultados. Então, isso, com certeza, deve influenciar nos nossos resultados”, explicou diretora da FVS-AM.


Orientação para ficar em casa - Ao final da transmissão, o secretário de Saúde reforçou o pedido para que a população evite sair de casa, comportamento considerado pelas autoridades de saúde como uma importante forma de conter a transmissão do novo vírus.

“Fazemos coro de que as pessoas de fato fiquem em casa. Estamos lidando com um vírus novo, que é inimigo dos sistemas de saúde no mundo inteiro. Portanto, quanto menor o número de pessoas nas ruas, menor será o número de doentes, e maior será a probabilidade de podermos atender a todas as pessoas que têm Covid-19 e precisam de estrutura e cuidados intensivos”, pediu Rodrigo Tobias.

Pacientes internados – Dos 151 casos confirmados, 22 estão internados. Desse total, 5 estão no Delphina Aziz, e 17 estão em unidades de saúde da rede privada. Até esta segunda-feira, o Amazonas registrou um óbito em decorrência da doença.



Hospital Delphina Aziz recebe doação de protetores faciais produzidos por rede de voluntários


FOTOS: Zamith Filho e Aleandra Cruz/Divulgação

FOTOS: Zamith Filho e Aleandra Cruz/Divulgação

FOTOS: Zamith Filho e Aleandra Cruz/Divulgação

Referência para os casos graves suspeitos ou confirmados do novo coronavírus, o Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz recebeu, no último sábado (28/03), a doação de 30 protetores faciais, produzidos com técnica de impressão 3D, que serão utilizados pelos profissionais de saúde da unidade no atendimento aos pacientes de Covid-19.

A doação dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) foi realizada pela “Liga Contra o Covid-19 Manaus”, iniciativa da sociedade civil organizada criada para ajudar no combate à pandemia do novo coronavírus no estado do Amazonas. A rede de voluntários é formada por makers, professores, estudantes, empreendedores e profissionais das áreas de saúde, tecnologia, dentre outras.

O laboratório de fabricação digital Fab Lab é um dos envolvidos no projeto. Segundo Carlos Junio, responsável pelo espaço, a iniciativa é aberta e sem fins lucrativos. Ele adianta que a Liga deve entregar mais dez protetores faciais ao Hospital Delphina Aziz nesta semana.

“Reunimos um grupo de pessoas que têm impressora 3D em casa. Então, elas estão imprimindo em casa a parte mais maciça do protetor e trazem aqui para o Fab Lab, que é o local onde os escudos estão sendo montados. E, daqui, a gente manda entregar ou alguém dos hospitais vem pegar. O grupo é totalmente voluntário, e o projeto é aberto. Então, ele não pode ser vendido, somente doado. Estamos também atrás de doações de filamentos e máscaras para evitar a contaminação dos equipamentos durante a montagem”, explicou.

Normas de uso - De acordo com o Protocolo de Manejo Clínico para o Novo Coronavírus, do Ministério da Saúde, e com a Nota Técnica nº 04/2020, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), os protetores faciais, que cobrem a frente e os lados do rosto, devem ser utilizados quando houver risco de exposição do profissional a respingos de sangue, secreções corporais e excreções do paciente.

Ainda segundo as normas das autoridades sanitárias, esse EPI é de uso exclusivo para cada profissional responsável pela assistência, sendo necessária a higiene correta após o uso. Sugere-se para a desinfecção o uso de hipoclorito de sódio ou álcool líquido a 70%.




Justiça Federal restabelece decreto estadual que proíbe transporte fluvial de passageiros


Medida do Governo do Amazonas é para frear avanço do novo coronavírus no interior do estado

O desembargador Jirair Aram Meguerian, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, restabeleceu, nesta segunda-feira (30/03), a liminar que determina o imediato cumprimento do Decreto 42.087/2020, assinado pelo governador Wilson Lima, que proíbe o transporte fluvial de passeio de passageiros no Amazonas. A medida foi tomada pelo Estado para conter o avanço do novo coronavírus nos municípios do interior.

A decisão do desembargador atendeu pedido de reconsideração feito pela Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM), em conjunto com a Defensoria Pública da União, após decisão da desembargadora federal Maria do Carmo Cardoso, que ontem (29/03) havia derrubado a primeira liminar que a Defensoria tinha obtido mantendo o decreto – alvo de recurso interposto pela União.



Na decisão, o desembargador Jirair Aram Meguerian afirma que as questões econômicas não devem se sobrepor à saúde da população.

“Finalmente, no que diz respeito à redução da receita das empresas de navegação, só transportam carga, chegando a União a alegar que haveria prejuízo contábil, caber alertar, em primeiro lugar, que entre questões econômicas e questões de saúde com a letalidade provável da doença cabe optar pela vida da população, desde que não haja como mitigar os prejuízos econômicos”, diz trecho da decisão.



Conforme a decisão, e de acordo com o Decreto 42.087, a proibição do transporte fluvial de passeio de passageiros deve ser fiscalizada pelo Governo do Amazonas com a parceria da Marinha do Brasil. As autoridades também devem esclarecer a população que este não é o momento para passeios, festas, piqueniques ou pescarias em barcos recreios, lanchas, voadeiras, iates ou quaisquer embarcações.



Não está proibida a circulação de policiais, agentes de saúde, transporte de carga, bem como não restringe serviços essenciais, para assegurar que não haverá prejuízos de saúde, segurança e vida digna à população do interior.




Via Secom
Postagem Anterior Próxima Postagem