María Guadalupe López, que ostentava armas douradas nas redes sociais, morreu após tiroteio com forças de segurança mexicanas na última sexta-feira



A traficante mexicana María Guadalupe López Esquivel, conhecida como "La Catrina" (personagem do Dia dos Mortos que é o esqueleto de uma dama da alta sociedade, a "Senhora dos Mortos"), morreu na última sexta-feira (10) após um confronto com a polícia. Ela era conhecida nas redes sociais por aparecer em fotos ostentando armas de ouro.



A criminosa recebeu o apelido por causa de uma tatuagem de "La Catrina" que tinha na coxa direita. E foi essa marca que ajudou na identificação do corpo. De acordo com a polícia local, ela morreu enquanto era levada para o hospital após levar um tiro no pescoço durante tiroteio com policiais no estado de Michoacán, na região central do México.


Carreira no Crime

La Catrina chamava a atenção nas redes sociais por suas fotos com armas douradas, mas também era procurada pela polícia pela violência com que tratava rivais e homens das forças de segurança.


Ela era uma das líderes do cartel Nueva Generación de Jalisco, estado na costa oeste do México, no qual estava desde 2017, ela comandava um grupo de "Sicários" (nome dado a assassinos profissionais que matam sem deixar rastros, no México) 


Em outubro do ano passado, ela participou do ataque a um comboio da polícia que deixou 13 policiais mortos e 9 feridos.


Apelido "La Catrina"



La Catrina, na cultura popular mexicana, é a representação do esqueleto de uma dama da alta sociedade. É uma das figuras mais populares da Festa do dia dos mortos no México. A personagem se caracteriza como um esqueleto de mulher usando um chapéu, como distintivo da alta sociedade do início do século XX e tem uma função destinada a lembrar que as diferenças sociais não significam nada, diante da morte. 



Veja o vídeo dos últmos momentos de La Catrina:


* Com informações do Portal R7.com

Via FV
Postagem Anterior Próxima Postagem