Autoridades e especialistas de Segurança Pública do Brasil, Estados Unidos, Europa e de países da América do Sul vão se reunir em Manaus, entre os dias 7 e 9 de abril, para discutir as experiências e as estratégias de combate ao crime nas regiões de fronteira.



Realizado pela Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), o I Encontro Sul-Americano de Agências de Inteligência Policial de Fronteiras visa incentivar cooperações internacionais para o combate aos crimes transnacionais.





Evasão de divisas, lavagem de dinheiro, tráfico de armas e drogas, tráfico de órgãos e de pessoas, e os desafios do combate ao crime ambiental, incluindo a biopirataria, serão debatidos ao longo de três dias por autoridades brasileiras e estrangeiras.



De acordo com o secretário de Segurança Pública do Amazonas, coronel Louismar Bonates, a ideia é se debruçar sobre esses desafios da segurança pública, de olho nas experiências internacionais. A meta é desenvolver uma Rede de Inteligência, com banco de dados integrado, visando a produção de informações para combater diversos crimes.




Estado com a maior faixa de fronteira do Brasil, o Amazonas faz vizinhança com países com grande produção de entorpecentes. Mas o estado também enfrenta outros desafios, como a biopirataria e o tráfico de drogas.

“Queremos não só debater sobre o que tem sido feito e conhecer as experiências exitosas nos nossos vizinhos ou em outros países, mas, sobretudo, buscamos uma interlocução melhor, para que a gente consiga ter maior facilidade para combater o crime e investigar suspeitos”, disse.

De olho na atuação integrada, o Amazonas também vem firmando cooperações técnicas com outros estados da federação para trabalhar operações policiais em conjunto. Já há protocolos assinados com Rondônia, Roraima e Acre que permitem tanto a troca de informações de inteligência quanto o desenvolvimento de operações policiais.



Segundo Louismar Bonates, o evento abrirá muitas possibilidades e o mais importante é que elas vão representar ganhos substanciais às ações de combate à criminalidade.


“As organizações criminosas atuam sem fronteiras, com conexões no mundo inteiro. Por isso, é urgente que as polícias também desenvolvam protocolos para acessar e fornecer informações de forma célere, que ajudem na localização de criminosos, no combate às organizações e na prevenção dos crimes que muitas vezes cruzam nossas fronteiras com direção a outros países, mas deixam um rastro de problemas que afeta toda a sociedade, como é o caso das drogas”, salientou.




Debate Internacional 

 O I Encontro Sul-Americano das Agências de Inteligência Policiais de Fronteira ocorrerá no Centro de Convenções do Amazonas Vasco Vasques (CCAVV), localizado na avenida Constantino Nery, Dom Pedro, zona centro-oeste de Manaus. O evento está marcado para os dias 7, 8 e 9 de abril, com a presença de integrantes de agências brasileiras e estrangeiras, como o FBI (Agência Federal de Investigação, em português), dos Estados Unidos.



Já confirmaram presença autoridades e especialistas de países como Argentina, Chile, Uruguai, Paraguai, Bolívia, Colômbia e Peru, além das Guianas Francesa e Inglesa e o Suriname. O evento será restrito a agentes de segurança pública, com inscrições limitadas.

Via Secom
Postagem Anterior Próxima Postagem