"O que a gente está defendendo é a exploração racional, educada, responsável, mas, acima de tudo, sanando, cumprindo e proporcionando o resgate da dignidade de um povo que precisa ser resgatada, de um povo que precisa ter restabelecida a sua dignidade de comer e vestir"


O Senador Plínio Valério (PSDB-AM) defendeu ontem quinta-feira (13), em Plenário, a exploração dos recursos naturais e minerais da região amazônica. Para ele, as riquezas do território, se usufruídas com racionalidade, proporcionarão melhoria significativa à qualidade de vida dos amazonenses.

O parlamentar fez críticas ao discurso preservacionista de Ongs que atuam na região e dos países europeus. que, segundo ele, atribuem ao povo local o papel de "vilão, de bandido e predador do meio ambiente". Disse ainda que os estrangeiros que defendem a preservação da floresta são os mesmos que destruíram quase 99% de suas florestas primárias e que, portanto, nada teriam a ensinar aos brasileiros.

"Já foi destruída metade das florestas primárias que existiam no planeta. E agora nós temos a nossa, que querem que a gente não destrua. É claro que não vamos destruir. Se a Amazônia estivesse na Europa, já estava destruída. Graças a Deus, a Amazônia não está na Europa, está aqui. Nós sabemos conviver, sim. Agora, por que não usufruir?" disse.

Plínio Valério afirmou que os países ricos e desenvolvidos da Europa exploraram e usufrui de toda a riqueza natural e mineral que havia em seus territórios, proporcionando bem-estar social ao povo. Para ele, o Brasil tem igual direito de fazer uso fruto de suas riquezas com a exploração racional de seus recursos.


"O que a gente está defendendo é a exploração racional, educada, responsável, mas, acima de tudo, sanando, cumprindo e proporcionando o resgate da dignidade de um povo que precisa ser resgatada, de um povo que precisa ter restabelecida a sua dignidade de comer e vestir".



Via Agência Senado
Postagem Anterior Próxima Postagem