O Carnaval de rua de Manaus está crescendo a cada ano e se tornando referência



Manaus
- O carnaval de rua é uma das mais antigas manifestações culturais de Manaus. Os registros apontam os primeiros aglomerados nas ruas do Centro da capital amazonense, que vão desde à elite amazonense formada pelos “barões da borracha” aos brincantes da folia da camada popular manauara.


De lá para cá, o Carnaval de Manaus vem crescendo a cada ano trazendo bandas e blocos que se consolidaram no calendário da cidade como a “Banda da Bica”, “Banda da Difusora”, “Jangadeiro”, “Baixa da Égua”, “Bloco das Piranhas”, “Banda do Caldeira” e “Galo de Manaus”, por exemplo.



Quando se fala em Carnaval, a primeira imagem que vem à cabeça são os blocos e bandas do eixo Rio-São Paulo e do grandioso Carnaval de Salvador. Sobretudo, segundo o diretor-presidente da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), Bernardo Monteiro de Paula, o Carnaval de Manaus, aos poucos, está ganhando destaque no cenário turístico nacional.


“Nos últimos sete anos, o Carnaval de Manaus cresceu de uma forma exponencial. Por conta do viés turístico que salientamos durante o período dessa gestão. Hoje, as bandas e blocos manauaras além de trazer a tradição das marchinhas de carnaval, também preservam a cultura e identidade amazonense. O Carnaval de Manaus é referência para os demais Estados do Norte e a expectativa é que cada vez mais a cidade ganhe visibilidade chegando ao patamar dos grandes pontos turísticos b
rasileiros nessa época do ano”, comentou o diretor-presidente.

Ainda conforme Bernardo Monteiro de Paula, no ano de 2020 o carnaval da capital amazonense consta com aproximadamente 350 bandas e blocos dispersos por várias zonas da cidade.


“Para o Carnaval desde ano nós conseguimos dar apoio com serviços de sonorização, iluminação, palco, banheiros químicos, atrações, estrutura e equipamentos similares a 110 bandas e blocos de Manaus contemplados pelo edital de apoio. Somando a este número, mais de 200 blocos foram atendidos também por intermédio de emendas parlamentares. Ou seja, a cidade de Manaus tem aproximadamente 350 bandas e blocos que serão realizados até a primeira quinzena de março”, informou Bernardo.






Aquecedor da economia

Além de fomentar o turismo local, o diretor-presidente da Manauscult afirma que é o período carnavalesco é um grande estimulador de emprego e renda.

“Além do turismo amazonense, o Carnaval de Manaus é um potencial vetor para geração de emprego e renda. Temo toda uma cadeia produtiva cultural que reúne artistas como músicos, percussionistas, bailarinos e comerciantes que aproveitam a época para gerar uma renda extra”, ressaltou Bernardo.


A comerciante Simone Barreto, de 45 anos, que vende acessórios de Carnaval há 20 anos em bandas e blocos de Carnaval, conta que conseguiu arrecadar pelo menos R$ 100 no último fim de semana.


Via Em Tempo
Postagem Anterior Próxima Postagem