Legislação brasileira prevê que presos em regime semiaberto podem deixar a prisão para estudar



Em regime semiaberto há cinco anos, a detenta foi selecionada em 8º lugar no Instituto Federal de Ciência, Tecnologia e Educação de SP

A detenta concorreu para uma vaga no curso noturno e ganhou o aval da instituição de ensino para se matricular após atingir uma pontuação de 608.42 pontos — há outros 35 estudantes selecionados. A nota dela foi 24 pontos menor do que a da primeira colocada.

Desde que sua pena progrediu, em 2015, ela ganhou direito a saídas temporárias em datas específicas e, fora da cadeia, mostrou-se disposta a interações sociais.


A legislação brasileira prevê que presos em regime semiaberto podem deixar a prisão para estudar, desde que voltem para a cadeia após os horários de aulas. O mesmo pode ser feito em relação a trabalhos. No caso dos estudos, é necessário manter bom desempenho para que a autorização para as saídas continue válida.

Via  G1
Postagem Anterior Próxima Postagem