Câmeras de segurança flagraram o momento do ataque, durante jogo de futebol promovido em parceria com igreja evangélica.




Uma dupla armada invadiu a quadra de uma escola particular, atirou e deixou três adolescentes feridos no Bairro José Walter, em Fortaleza. A ação aconteceu na noite desta quarta-feira (15), por volta das 19h30, e foi flagrada por câmeras de segurança.


O tiroteio ocorreu durante partida de futebol promovida por um projeto social desenvolvido e mantido pela Igreja Evangélica Assembleia de Deus no Bairro José Walter.

O Centro Educacional Doris Johnson informou que o ocorrido "trata-se de um caso isolado". A escola acrescentou que, dentre os feridos, dois são alunos matriculados na instituição e a outra vítima é uma jovem que assistia ao jogo.


Por meio de nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que o 8º Distrito Policial está apurando o caso e faz diligências para capturar os suspeitos envolvidos no crime.


Nas imagens registradas por câmeras do colégio, que podem ser vistas no vídeo acima, um grupo de pessoas que estava assistindo à partida corre assim que escuta o primeiro disparo. Em seguida, dois suspeitos invadiram a quadra e atiraram na direção a um jovem. A vítima tentou correr, mas foi perseguida pelos criminosos.


Durante o tiroteio, houve correria e tumulto no local. Os suspeitos estavam usando capacetes e fugiram após os tiros.





Estudantes feridos


Conforme testemunhas, as vítimas foram socorridas e levadas para o Hospital Distrital Gonzaga Mota do José Walter, o Gonzaguinha José Walter. Em seguida, duas ambulâncias do Samu fizeram a transferência dos dois estudantes feridos para o Instituto Doutor José Frota (IJF), no Centro da capital.


A direção do Centro Educacional Doris Johnson comunicou, por nota, que as vítimas "não foram feridas gravemente e todos estão se recuperando do ocorrido, já tendo sido submetidos a procedimentos médicos e aguardando alta do hospital".



O colégio comunicou que as imagens foram entregues à polícia para auxiliar na identificação dos suspeitos. "As imagens que foram vinculadas à instituição foram cedidas por ela própria à polícia, e da mesma maneira que a população, estamos aguardando um parecer oficial e resolução do caso", informou a direção da escola, em nota.


"O projeto está à disposição dos pais e familiares para dar o apoio necessário, como também pede pela intensificação da segurança dentro da comunidade em que está inserido", acrescentou.




Via G1
Postagem Anterior Próxima Postagem