No mundo todo, 30% dos trabalhadores ocupados sofrem com transtornos mentais e comportamentais, segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT)


O trabalho aos domingos pode levar ao aumento do nível de estresse e predispor o trabalhador a doenças, segundo a psicóloga Camila Soares, especialista em psicologia organizacional e diretora-executiva do Núcleo de Desenvolvimento Humano e Organizacional Recriar.
A falta de respeito a esse tempo de descanso vai gerar um alto nível de estresse, que provoca a somatização, ou seja, se manifesta fisicamente na forma de dores de cabeça, musculares e pressão alta, que pode levar a doenças cardíacas

Por sua vez, Tatiane Paschoal, doutora em psicologia social, do trabalho e das organizações pela Universidade de Brasília (UnB), pondera que o impacto dessa mudança na saúde depende de como a empresa vai negociar essa questão e quais recompensas o funcionário terá.

Se isso significar falta de descanso, de tempo com a família e sobrecarga, o resultado para o trabalhador será negativo. Mas, não necessariamente essa medida gera uma condição pior
avalia.

Em maio deste ano, a síndrome de burnout foi reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como resultado de “um estresse crônico no trabalho que não foi administrado com êxito".


Postagem Anterior Próxima Postagem