O desempenho do Brasil no Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa na sigla em inglês), divulgado na semana passada, foi considerado frustrante pela deputada professora Therezinha Ruiz (PSDB). Os resultados colocam 68,1% dos estudantes brasileiros no pior nível de proficiência em Matemática, revelando a queda do País, de 65ª posição para o 70ª lugar nessa disciplina, entre os 80 países avaliados.



Cerca de 13 mil alunos brasileiros, de 15 anos de idade, participaram das avaliações do Pisa 2018, que incluem ainda Ciências e Leitura. “É uma situação preocupante porque mostra que a educação básica estagnou no Brasil, o que vai refletir negativamente no Índice de Desenvolvimento Humano do País”, alertou a deputada.


Com base nos dados da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que aplica as avaliações, Therezinha Ruiz, disse que em Ciências, nenhum aluno conseguiu chegar ao topo da proficiência na área e 55% não atingiram o nível básico.


No quesito Leitura e compreensão de texto, o Brasil também não avançou. Cerca de 50% dos brasileiros avaliados não atingiram o mínimo de proficiência que todos os jovens devem adquirir até o final do ensino médio.


“São resultados que revelam que, na última década, o País estacionou nas últimas posições em Leitura, Matemática e Ciências, ficando abaixo da média dos demais participantes”, lamentou Therezinha Ruiz.


A deputada lembrou ainda que ao longo de duas décadas, as notas dos estudantes brasileiros só apresentaram evolução significativa até 2009, citando o período que vai do final do governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB) até o segundo mandato de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).


“Depois dessas gestões, nos governos de Dilma Rousseff (PT) e de Michel Temer (MDB), as pontuações do Brasil não tiveram alterações significativas do ponto de vista estatístico”, destacou Therezinha, com base nas informações da OCDE.




PISA


As avaliações do Programme for International Student Assessment (PISA), sobre a educação mundial são divulgadas a cada três anos pela OCDE. O exame é aplicado em todos os países-membro do órgão e também em países parceiros, como o Brasil.

Três regiões da China lideram como melhores do ranking, no PISA 2018, sendo que uma província ocidental encabeça a lista com 555 pontos em leitura, 590 em ciências e 591 em matemática. Macau é a 3ª melhor e Hong Kong a 4ª.

No meio delas, em 2° lugar, está Cingapura, também na Ásia. O 5° lugar é da Estônia, ex-república soviética no norte da Europa. O Canadá aparece em 6° na lista, seguido de Finlândia, Irlanda, Coreia, Polônia, Suécia, Nova Zelândia, Estados Unidos, Reino Unido, Japão, Austrália, Taipei Chinês, Dinamarca, Noruega e Alemanha.


Via Assessoria de Imprensa
Postagem Anterior Próxima Postagem