Projeto de autoria da deputada Joana Darc (PL), aprovado na tarde dessa terça-feira (10) na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), institui a criação de uma Campanha Estadual de Conscientização sobre Consumo de Medicamentos Anorexígenos, alertando para seu uso exagerado e indevido de medicamentos emagrecedores.



Esses fármacos têm como finalidade induzir a aversão ao alimento e à falta de apetite, ou seja, são os famosos remédios para emagrecer. Geralmente são anfetaminas, metanfetaminas e similares, mesma classe de drogas da cocaína, crack e crystal meth. Segundo especialistas, tais medicamentos podem acarretar diversos efeitos colaterais, como dependência química, depressão, insônia, insuficiência cardiorrespiratória, hipertensão arterial severa (pressão alta) entre outros.


A parlamentar ressalta a importância da aprovação do projeto. “Vivemos em uma sociedade em que muitas vezes jovens se prendem a padrões estéticos de magreza excessiva, por isso, o projeto vem com o objetivo de fortalecer o processo educativo, fornecendo informações importantes para os cuidados com a saúde e os riscos destas medicações. Somente o processo educativo pode quebrar o ciclo da não informação acerca dos riscos a que os cidadãos estão sujeitos e, também, confiar os cuidados com a saúde aos profissionais específicos”, destacou Joana Darc.


De acordo com a justificativa do projeto, atualmente, as drogas anorexígenas utilizadas no Brasil são a dietilpropiona (anfepramona), o fenproporex, fenfluramina, fenilpropanolamina e o manzidol. Dentre eles, o femproporex é o anorexígeno mais utilizado no Brasil (60% das prescrições). As anfetaminas são estimulantes do SNC (Sistema Nervoso Central) que aumentam a vigília e a atividade autônoma dos indivíduos e cortam o apetite.


Se sancionada pelo governador, a campanha será realizada anualmente na primeira semana de abril, durante a “Semana de Conscientização sobre o Consumo de Medicamentos Anorexígenos'”, onde ocorrerão palestras de esclarecimento para a população, distribuição de folhetos informativos e explicativos no Programa Estadual de Proteção e Orientação do Consumidor (Procon-AM), na rede pública de ensino e de saúde, além de possíveis outras ações.


Via Assessoria de Imprensa
Postagem Anterior Próxima Postagem