"As usinas do Amazonas serão construídas em Manaus, Rio Preto da Eva e Itacoatiara e vão gerar cerca de 36 mil novos empregos", destaca Josué Neto


O Amazonas terá três usinas de produção de etanol que irão compor, junto com a usina de Bonfim, em Roraima, a maior cadeia produtiva de biocombustíveis da região norte. O investimento é de pelo menos R$ 4,4 bilhões e geração de 36 mil empregos só no Amazonas. 

A informação é do diretor comercial da multinacional Millenium Bioenergia, Acácio Rozendo, dada neste sábado (8) durante o lançamento da pedra fundamental que marcou o início das obras da usina de Bonfim (RR), município que fica a 550 KM do Porto de Georgetown, na Guiana Inglesa, ponto estratégico por facilitar a rota comercial pelo Atlântico. 

Segundo Rozendo, a construção das usinas do Amazonas devem iniciar nos próximos meses, e dependem agora apenas de um projeto de terraplanagem que está em fase de conclusão. A previsão é que as usinas comecem a operar no final de 2021. Elas serão construídas em Rio Preto da Eva, Itacoatiara e Manaus e serão abastecidas por produtores locais. 



Para o economista e presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado Josué Neto, a produção de etanol com os incentivos da Zona Franca de Manaus farão que o biocombustível produzido na região norte tenham valor mais atrativo para o mercado consumidor. 

Em discurso durante a solenidade, o parlamentar agradeceu a equipe da Millenium Bioenergia pelos investimentos no Amazonas e parabenizou o Governo Federal pela política econômica que tem adotado e que tem proporcionado o crescimento da economia do país.



Estamos aqui em Bonfim, para dar uma força para o Governo Federal, e apoiar essa grande empresa, que em conjunto com o Governo do Amazonas e Roraima gerarão milhares de empregos para o nosso povo e nossa Amazônia, afirmou.


A solenidade também teve a participação do  superintendente da Suframa, coronel Alfredo Menezes, Ceo da Millenium BioEnergia Eduardo Lima, presidente da Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico e Social (Aades), Bráulio Lima, representando o Governo do Amazonas, prefeito de Bonfim, Joner Chagas, o Governador de Roraima, Antônio Denarium, dentre outras autoridades.


Bonfim

A multinacional vai investir mais de R$ 1 bilhão na construção do complexo industrial de  Bonfim. Nessa primeira fase da construção, serão investidos R$ 600 milhões e oferecidas 1.500 vagas de emprego. A mão de obra será absorvida do mercado local, por meio de empresas que serão contratadas para o serviço. A obra terá um total de 270.000m².


Amazonas
As três usinas do Amazonas terão capacidade de produção semelhante à de Bonfim, cerca de 600 mil litros de etanol por dia. 

Cinco produtos a base de milho serão produzidos na fábrica, são eles: etanol, o farelo de milho DDGS [Dried Distillers Grains With Solubles], gás dióxido de carbono (CO2) alimentício engarrafado, bio-óleo comestível e o excedente empregado na geração de energia.

A Millenium Bioenergia também vai se instalar em outros estados da região Norte, acompanhado os benefícios da Suframa.




Saiba mais em:
Bolsonaro publica discurso de Josué Neto e afirma: “Nosso governo alinhado com os interesses do povo do Amazonas”
Postagem Anterior Próxima Postagem