No Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres, comemorado nesta sexta-feira (6), o Amazonas aderiu ao movimento com a promulgação da Lei Estadual 5.032/2019, que proíbe a nomeação de condenados pela Lei Maria da Penha em cargos públicos. A nova legislação, de autoria do deputado estadual João Luiz (Republicanos), aguarda publicação no Diário Oficial do Estado (DOE) para entrar em vigência.

Conforme a lei promulgada, a partir da publicação no DOE, será vedada a nomeação de condenados em decisão transitada em julgado pelos crimes tipificados como de violência doméstica e familiar contra a mulher.

Desta forma, as pessoas condenadas nos últimos 5 anos pela Lei Maria da Penha (Lei Federal nº 11.340/2006) não poderão ocupar cargos em comissão, de confiança ou de função gratificada na administração direta e indireta nos poderes Executivo, Legislativo ou Judiciário do Estado do Amazonas.

João Luiz explicou que o texto da lei foi baseado em dados da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), que apontam um índice alarmante de violência doméstica contra as mulheres.

De janeiro a outubro deste ano, 14.356 casos de violência doméstica contra a mulher foram registrados no Amazonas, segundo dados da SSP-AM. Deste total, 12 são feminicídios. Temos o dever de adotar medidas urgentes para por um fim à violência contra a mulher, justificou o autor da lei.


Segundo levantamento do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) apresentado em 2018, o Amazonas é o terceiro estado do Brasil com maior proporção de casos de feminicídio a cada grupo de 100 mil mulheres residentes no Estado. As maiores proporções de casos de feminicídio a cada 100 mil mulheres residentes foram registras pelo Rio Grande do Norte, Paraná, Amazonas e Mato Grosso.



Caminhada

Na manhã desta sexta-feira (6), o deputado João Luiz participou da Caminhada dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres, na Zona Leste de Manaus. A ação, promovida pela Secretaria Estadual de Justiça do Amazonas (Sejusc) em parceria com a Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) e o Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJ-AM), reuniu mais de 500 pessoas, entre representantes de movimentos sociais, secretários municipais e estaduais, políticos e policiais civis e militares na avenida Autaz-Mirim, no bairro Jorge Teixeira.

A caminhada contou com o engajamento do governador do Estado, Wilson Lima; do deputado estadual Álvaro Campêlo (Progressistas); dos secretários de Estado da Justiça e Cidadania, Caroline Braz; da Segurança, Coronel Bonates; da subsecretária Municipal de Políticas Afirmativas para as Mulheres, Socorro Sampaio; do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AM), Marco Aurélio Choy; e do defensor público geral do Estado, Ricardo Paiva.



Denúncia

Em Manaus, as denúncias podem ser registradas nas unidades da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM) localizadas na avenida Mário Ypiranga Monteiro, Parque Dez, Zona Centro-sul, e na rua Santa Ana, Cidade de Deus, zona norte, atrás do 13º DIP, ou em qualquer Distrito Integrado de Polícia. Ou pelo Disque 181, número de denúncias da SSP-AM.





Via Assessoria de Imprensa

Foto: Mauro Smith
Postagem Anterior Próxima Postagem