A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) aprovou na tarde desta terça-feira (17), os pareceres definitivos do Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA 2020) e do Plano Plurianual (PPA 2020-2023). Conforme o presidente do colegiado e relator-geral, deputado estadual Ricardo Nicolau (PSD), as matérias estão, agora, aptas a serem votadas em Plenário.



Na reunião, que teve a presença de 11 parlamentares, os membros da CAE aprovaram todas as 863 emendas impositivas apresentadas ao PLOA 2020. Por maioria de votos, foram rejeitadas 81 emendas individuais e três coletivas por esbarrarem em inconsistências técnicas. Também foi aprovado, na íntegra, o parecer definitivo do PPA 2020-2023 contendo dez emendas.


O próximo passo é a entrega dos pareceres definitivos de ambas as matérias orçamentárias, contemplando todas as emendas impositivas e recomendando a aprovação do Orçamento como um todo. Creio que estarão prontos já amanhã (dia 18) para votação final e posterior encaminhamento ao governo do Estado, afirmou o deputado Ricardo Nicolau.


O presidente da CAE anunciou que as emendas rejeitadas por decisão do colegiado também serão enviadas ao Poder Executivo em forma de indicação. “Muitas dessas emendas já estavam contempladas no Orçamento e outras estavam inexequíveis, com valores ou muito abaixo ou muito acima do que é efetivamente é praticado no mercado”, explicou.


Além do presidente Ricardo Nicolau, a reunião deliberativa da CAE teve a presença dos membros Alessandra Campêlo (MDB), Saullo Vianna (sem partido), Serafim Corrêa (PSB), Wilker Barreto (Podemos), Felipe Souza (Patriota) e Roberto Cidade (PV), além dos deputados Dr. Gomes (PSC), Dermilson Chagas (PP), Joana Darc (PL) e Carlinhos Bessa (PV).




Orçamento impositivo

O trabalho preventivo realizado pela Coordenadoria de Controle das Emendas Parlamentares Impositivas (CCepi) provocou um aumento na quantidade de emendas, que subiu de 844 para 863. De acordo com Ricardo Nicolau, o acréscimo se deu pela necessidade de desmembramento de algumas emendas para assegurar a viabilidade técnica e a execução delas no próximo ano.


Este ano, cada deputado pôde indicar o destino de R$ 6,9 milhões em emendas impositivas dentro do PLOA 2020, atendendo aos percentuais mínimos obrigatórios de 12% para a área da Saúde (R$ 839,2 mil) e 25% para a Educação (R$ 1,7 milhão). A proposta do governo estima R$ 18,9 bilhões em receitas e despesas totais para o ano que vem.




Via Assessoria do Deputado
Postagem Anterior Próxima Postagem