Elizeu da Paz, Mayc Parede, José Edvandro Júnior e os irmãos Alejandro e Paola Valeiko foram denunciados por envolvimento na morte do engenheiro


O Ministério Público do Estado (MPE-AM) ofereceu denúncia contra 5 pessoas pela morte de Flávio Rodrigues, de 42 anos. Para o órgão ministerial, o policial militar Elizeu da Paz, o lutador de MMA Mayc Vinícius Texeira Parede e Alejandro Molina Valeiko, filho da primeira-dama de Manaus, Elizabeth Valeiko, são os autores do homicídio do engenheiro, encontrado morto no último dia 30 de setembro em um terreno no bairro Tarumã, na Zona Oeste de Manaus.

Segundo a denúncia datada do dia 16 de dezembro, assinada pelo promotor de Justiça Igor Starling Peixoto, titular da 16ª Promotoria de Justiça, e dada com exclusividade pelo programa "Alô Amazonas", há indícios de autoria e prova da materialidade de crime praticado por Elizeu, Mayc e Alejandro contra Flávio. O trio também é denunciado por homicídio qualificado tentado contra Elielton Magno Gomes Menezes, que chegou a ficar preso temporariamente por suspeita de envolvimento na morte do engenheiro.


Dinâmica

De acordo com o MPE – AM, no dia 29 de setembro, por volta das 22h20, em razão do comportamento de Alejandro no interior da casa onde morava, localizada no Condomínio Passaredo, na Zona Oeste de Manaus, Elizeu, segurança pessoal de Alejandro, e Mayc foram ao imóvel, sem balaclava ou qualquer disfarce no rosto, dentro de um veículo Corolla dirigido pelo policial militar, de cor preta, placas PHY-8178, e após acesso permitido no condomínio em razão de autorização prévia, estacionaram o automóvel e ingressaram na residência de Alejandro.

Ainda segundo a denúncia do MPE – AM, às 22h30, Magno chega ferido à guarita do condomínio e recebe auxílio dos agentes de portaria. Minutos após, por volta de 22h33, Elizeu e Mayc saem em alta velocidade do Condomínio Passaredo no mesmo veículo Corolla, com Mayc Parede segurando Flávio Rodrigues no banco de trás, comprovadamente ferido, pois a perícia no veículo encontrou material genético da vítima.

Sobre o que aconteceu dentro do imóvel, o MPE-AM informou que, realizadas as investigações, se apurou que as agressões foram praticadas por Elizeu, Mayc e Alejandro em coautoria por omissão, com indícios de ação, demonstradas pelos confrontos entre as provas técnicas e testemunhais.

Nesta ocasião, sem qualquer justificativa, foram desferidos golpes de faca na vítima fatal, totalizando seis perfurações – duas na região abdominal, duas região dorsal e duas na coxa esquerda –, somadas as múltiplas escoriações de arrasto nos troncos e nos membros, além de sufocação e lesões na face. Ainda foram desferidos dois golpes nas costas de Magno, o qual somente não teve o mesmo destino por ter conseguido fugir e conseguir socorro.

Lavagens

Conforme a denúncia do MPE-AM, após o ocorrido – o documento não deixa claro se após deixar o corpo de Flávio no terreno no Tarumã –, Elizeu ordenou a lavagem do automóvel, ciente que o procedimento de limpeza prejudicaria o exame pericial. No Passaredo, Paola Valeiko, irmã de Alejandro, já na casa, limpou as manchas de sangues encontradas na sala da residência antes da realização da perícia no local.

Denunciados

Alejandro, Mayc e Elizeu da Paz foram denunciados por homicídio; José Edvandro Martins de Souza Júnior por denunciação caluniosa; e Paola Valeiko por fraude processual. O MPE- AM não ofereceu denúncia contra Elielton Magno e o cozinheiro Vittorio Del Gatto.



Postagem Anterior Próxima Postagem