Na manhã desta quinta-feira (5) o Auditório Senador João Bosco, na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), se tornou um cinema com o objetivo de exibir o documentário “HIV: Deu positivo”, produzido pela TV Justiça e dirigido por Marcelo Ottoni Braga, Thiago Lacerda e Leo Cândido.



O evento foi realizado através de parceria entre a Comissão da Mulher, das Famílias e do Idoso e a Frente Parlamentar Mista de Enfrentamento e Defesa dos Direitos da pessoa com IST/HIV/AIDS e Tuberculose (Frendhat) da Aleam, e fez parte de programação alusiva ao Dia Mundial de Luta contra a Aids, celebrado no dia 1º de dezembro.


O deputado Carlinhos Bessa (PV), presidente da Frendhat, afirmou que a intenção com essa mostra cinematográfica é promover o debate sobre o tema, chamando atenção à importância da conscientização, prevenção e uso de preservativos nas atividades sexuais. 

Nós entendemos que o Poder Legislativo deve somar forças com o Executivo, com a sociedade civil organizada, para que possamos construir políticas públicas eficazes de prevenção e tratamentos
explicou.

Bessa falou ainda que a deputada Alessandra Campêlo (MDB), que preside a Comissão da Mulher da Aleam, estava em viagem oficial, mas que o compromisso da deputada é em levar à população o conhecimento das formas de prevenção ou tratamentos disponíveis.


A representante da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), assistente social Ana Carolina Leão Sales, que atua no Núcleo de Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) da secretaria, disse que há uma tendência mundial no aumento de registros de novos casos, porém, destacou a assistente social, em Manaus, no período de janeiro a outubro de 2019, foram registrados 1.017 novos casos de HIV. “Houve uma redução de 20% em comparação ao mesmo período de 2018”, informou, afirmando que a justificativa dessa redução está diretamente ligada às políticas públicas de prevenção e informação realizadas pelo município.

Nós temos campanhas em datas fixas, nos meses de fevereiro, julho, outubro e dezembro; com distribuição de preservativos e principalmente informando a população sobre a doença 
disse.


Ana Carolina informou ainda que em relação ao perfil dos portadores do vírus, os registros são predominantemente no sexo masculino, na faixa etária de 15 a 39 anos. E tem havido aumento do número de casos na população idosa.


Participaram do evento servidores da Casa, estudantes, representantes de organizações não governamentais, e de instituições como a Secretaria de Saúde (Susam), Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), Manifesta LGBTI – CasaMiga Acolhimento, Fórum Amazonas de OSC/Aids, Coordenação Municipal de Infecções Sexualmente Transmissíveis/Aids, AACH/Casa Vhida e Casa de Acolhida Frei Mário Monacelli.





“HIV: Deu positivo”


O documentário, com 20 minutos de duração, mostra o depoimento de portadores do HIV sobre como é conviver com o vírus e também os primeiros diagnósticos, o início dos estudos e surgimento do medicamento AZT, além do preconceito Nos anos 80, quando a doença era associada aos homossexuais e profissionais do sexo.


O curta alerta, porém, para o fato de que os jovens de hoje, que não conheceram a época em que a AIDS era considerada como uma “sentença de morte”, acham que não precisam tomar os devidos cuidados, com uso de preservativos nas relações sexuais ou Profilaxia Pré Exposição (Prep), por exemplo. O documentário desmistifica também a ideia de que o HIV era restrito aos homossexuais.


Via Assessoria de Imprensa

Postagem Anterior Próxima Postagem